Livro Primeiras Águas - Poesias

Este é o livro I da série Primeiras Águas.

Campanha Gravatá Eficiente

Fomentando uma nova plataforma de discussão.

A Liberdade das novas idéias começa aqui.

quarta-feira, 29 de abril de 2009



Nosso blog relembra vida de Ayrton Senna
nos 15 anos de sua morte.
No dia 1º de maio de 1994, o Brasil sofria em massa com a morte de um dos seus maiores ídolos. Às 9h18m de Brasília, na manhã de um domingo, Ayrton Senna da Silva sofre um acidente "inexplicável" em terras italianas que lhe tira de uma vida glórias na Fórmula 1.
A partir daquele fatídico domingo, Senna deixou milhões de órfãos - inclusive eu, de suas alegrias, de seu exemplo de vida, de sua determinação profissional e seu maior dom moral: a humildade.
Eu não consigo esquecer a comovida chegada ao Brasil do corpo do piloto. Jamais iremos esquecer inesperado acidente na curva Tamburello, no circuito de Imola, na Itália.
Apesar da triste lembrança, apesar da saudade, temos muitos motivos para reverenciar a vida e a obra de Senna. Basta que recordemos alguns números da sua vida vitoriosa:
Títulos na Fórmula 1: 3 em 1988, 1990, 1991 (todos com McLaren-Honda)
Vitórias: 41
Pole positions: 65
Pontos: 614
GPs disputados: 161
GPs finalizados: 105
Pódios: 80
Voltas na liderança: 2.987
Quilômetros na liderança: 13.676
Total de voltas percorridas: 8.219
Total de quilômetros percorridos: 37.934
Largadas na primeira fila: 87
Vitórias com pole position: 29
Vitórias de ponta a ponta: 19
Voltas mais rápidas: 19
Máximo de poles conseguidas em uma só temporada: 13 (em 1988 e 1989)
Pole positions consecutivas: 8, nos seguintes GPs: Espanha, Austrália, Brasil, San Marino, Mônaco, México e EUA (1988) e Brasil (1989).
Um ano após a morte de Senna, a Banda Aquarios grava uma música da compositora Rita de Cássia chamada Asas da Imaginação, que me fazia chegar às lágrimas.
A letra dizia:
Deve haver lugar
Onde o inacreditável sobrevive
Onde tudo é possível
Deixa a mente imaginar
Onde nosso pensamento faz viagem
E a mente sem bagagem
Viaja pra encontrar

Pode ser na asa de um cometa
Ou mesmo outro planeta
Onde a mente nos levar
Num lugar que tudo é possível
Sem medo sem dor
Só falar de amor
Deixa a mente imaginar

Asas me diz onde é o lugar
Onde o vento faz a curva
O circuito onde Senna corre sobre a chuva
Asas será que é real
Onde cantam as sereias
Onde nasce a lua cheia
Me faz acreditar.
DEUS TE ABENÇÕE SENNA.

sábado, 25 de abril de 2009

“Saudade é Amor que fica”


No dia de ontem partiu para a pátria espiritual a nossa pequena Anannda, querida filha de meu amigo Baltazar e minha amiga Joana Dark.

"Só temos que agradecer a Deus pelos momentos de alegria, aprendizado, paz e de muito amor ao lado dessa pequena notável. De espírito forte e lúcido, sempre conquistando novos amigos e nos ensinando que apesar da dor é possível sonhar e ser feliz". (Baltazar Maciel)



O PEDIDO DA MÃE QUE PERDEU O FILHO

por: Jávier Godinho

A morte é um ponto-e-vírgula, não um ponto final. Mesmo um belo e realista conceito como este, de Gilberto Campista Guarinos, no seu livro "Centelhas de Sabedoria", não elimina a dor da separação.

A partida definitiva do ente querido machuca tanto que fez até Jesus chorar como aconteceu quando ele, chegando a Betânia, Marta, irmã de Maria e de Lázaro, seus amigos, lhe comunicou, em pranto de desespero, que o irmão falecera.

A morte só não dói nos anestesiados. Os conceitos sobre ela se alinham mas não resolvem, pelo menos na primeira hora: A morte, por mais triste e desconcertante, é sempre o toque de ressurgir; A morte é uma longa viagem; É transformação, segundo os desígnios insondáveis de Deus, mas sempre útil ao fim que Ele se propõe; Apenas a destruição do envoltório corporal, que a alma abandona, como o faz a borboleta com a crisálida, conservando porém seu corpo fluídico ou perispírito; Começo de outra vida mais feliz, o prelúdio de um novo progresso: É uma lei natural e uma transformação necessária ao pro­gresso e elevação da alma.

Ainda assim, como dói nas almas sensíveis! Tudo isso tentamos transmi­tir, sem sucesso aparente, à mulher que nos procurou extravasando seu infortúnio: - Há seis anos, perdi meu único filho. Fiquei tão desesperada, que também perdi meu marido.

Sou católica, graças a Deus, por isso não fiz o pior comigo mesma. Na verdade, não preciso me matar, porque eu também morri para o mundo, quando meu filho morreu... As mães são assim mesmo, no seu amor pelos filhos.

É preciso compreendê-las, mesmo parecendo inútil nossa colaboração. Oferece­mos-lhe o livro "Coragem" de Francisco Cândido Xavier. Nele está escrito, por exemplo: "Sejam quais forem as aflições e problemas que te agitem a estrada, confia em Deus, amando e construindo, perdoando e amparando sempre porque Deus, acima de todas as calamidades e de todas as lágrimas, te fará sobreviver, abençoando-te a vida e sustentando-te o coração."

Foi há um ano e não mais nos vimos. Na semana passada, contudo, encontramos na portaria do prédio onde trabalhamos uma carta sua, onde ela nos pede: "Aliviou-me muito uma mensagem que ganhei de um senhor de cabelos brancos, cujo nome não sei, que a distribuía, domingo, no Cemitério Jardim das Palmeiras, onde me encontrava, como de costume, chorando no túmulo do meu filho.

Suas frases foram bálsamo para minha dor, por isso gostaria de reparti-la com outras pessoas na mesma situação que eu. Faça a caridade de publicá-la, para o bem de tantos sofredores atrás de remédio para suas saudades." É assim a solicitada mensagem de lógica e do consolo:

"Esta carta não quer converter você a nenhuma religião.

É que, ao visitar um cemitério, sei o que você procura. É verdade, existe um vazio dentro do seu coração, deixado pela pessoa querida que foi embora. A lembrança do rosto imóvel, do caixão, do velório, do enterro, eu sei, são recorda­ções doloridas.

As lágrimas que caem pelo seu rosto são as testemunhas dessa dor que parece impossível curar. Pode ter certeza: a pessoa que você pensa que está morta na verdade está viva. Viva e sabendo o que acontece. Ela, inclusive, deve estar agora desejando que você esteja preparado, sabendo como é a vida depois da morte, para que, quando chegar a sua hora, você também seja feliz.

Sim, porque é preciso viver bem, para morrer bem. Não importa que religião você tenha. A vida não termina com a morte, mas é transformada por ela. Eles, os nossos mortos, estão vivos.

Morrer é só sair do corpo, é mudar de plano, como alguém que se transferisse de uma cidade para outra, sem que isso altere a pessoa em si. Depois que se morre, vive-se com um novo corpo: o corpo espiritual, feito de uma espécie de energia que obedece ao comando do pensamento.

Por isso, no mundo dos espíri­tos, somos o que pensamos. Quem é equilibrado aqui, será equilibrado lá. E daqui, do mundo físico, através do pensamento, nos comunicamos com as pessoas queridas que partiram antes de nós.

Todo pensamento de an­gústia, de tristeza, pode atingi-las, causando mais tristeza, mais aflição. Mas, também, tudo o que pensarmos e fizermos de bom, em nome delas, as tornará felizes. Portanto, nessa visita ao cemitério, pense positivo. Envie pensamento de paz, de amor, de alegria, para o seu ente querido.

Ajude aos outros em nome dele. Reze, de acordo com a sua religião, pedindo a Deus em favor dessa pessoa pois, pelo pensamento, ela estará recebendo as nossas energias espirituais positivas. Por fim, viva mantendo a consciência tranqüila.

Nunca prejudique a ninguém e faça aos outros o bem que puder, mesmo que lhe custe sacrifício. Porque vivendo assim você também será feliz, quando deixar o seu corpo de carne, para se encontrar com as pes­soas queridas que partiram antes de você."

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Colegas de profissão e estudantes,


*Por Lucivânio Jatobá


como uma espécie de transferência de um agente mórbido, à semelhança de células ou bactérias letais, a corrupção generalizou- se no território brasileiro, nos últimos anos. Sempre houve corrupção. Não se pode esconder esse fato.



Recordo muito bem, ainda criança, das conversas que causavam espanto na hora do almoço, quando meu pai comentava a corrupção que havia no ano de 1963, antes da instalação do regime de exceção, em 31 de março de 1964. Os jornais ,daquela época, estampavam manchetes que se referiam ao que se denominava, então, de "desfalques" em órgãos governamentais. Contudo, incomparáveis à realidade hodierna.




A corrupção virou uma metástase incontrolável e passou a ser tolerada, como "algo normal", por uma parcela da população que adotou o silêncio como estratégia política, que cheira à conivência.



A corrupção passa a ser ainda mais atemorizante quando atinge uma célula social que era para ser a vanguarda da defesa nacional, uma espécie de "leucócito" moral. Refiro-me à Juventude brasileira. Nem esta célula foi poupada da metástase.



Neste dia 23 de abril de 2009, a Folha de São Paulo trouxe, como manchete, a triste notícia:




" Embora se destinem apenas a jovens com renda mensal de até um salário mínimo e meio (R$ 697,50) por pessoa da família, bolsas integrais do ProUni (Programa Universidade para Todos) foram concedidas a mais de mil proprietários de carros novos, entre eles modelos de luxo, como Honda Civic, Toyota Hilux, Ford Fusion, Vectra, Zafira, Mitsubishi Pajero e o XTerra da Nissan. Com base no cruzamento com outros cadastros oficiais, foram identificados indícios de irregularidades que envolvem 30.627 bolsistas, ou 8% do total de 385 mil beneficiários"



Talvez seja oportuno relembrar o título de um ensaio famoso, escrito por um dos líderes da Revolução Bolchevique, " Que Fazer"? ou então reler, atentamente, o livro de George Orwell " A Revolução dos Bichos".



*Professor da Universidade Federal de Pernambuco

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Porque 22 de Abril é um dia Histórico?


1º MOTIVO


Em 22 de abril de 1500 chegavam nestas terras 13 caravelas portuguesas lideradas por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles acreditavam tratar-se de um grande monte, e chamaram-no de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, foi celebrada a primeira missa.
Após deixarem o local em direção à Índia, Cabral, na incerteza se a terra descoberta tratava-se de um continente ou de uma grande ilha, alterou o nome para Ilha de Vera Cruz. Após exploração realizada por outras expedições portuguesas, foi descoberto tratar-se realmente de um continente, e novamente o nome foi alterado.

A nova terra passou a ser chamada de Terra de Santa Cruz. Somente depois da descoberta do pau-brasil, ocorrida no ano de 1511, nosso país passou a ser chamado pelo nome que conhecemos hoje: Brasil. Comemoramos hoje, portanto, 509 anos de história.


2º MOTIVO


Hoje é comemorado o Dia da Terra. A primeira manifestação teve lugar em 22 de abril de 1970. Foi iniciada pelo senador Gaylord Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental.

Engraçado é que este dia não é reconhecido pela ONU. Mesmo sem este reconhecimento, todas as pessoas do mundo inteiro buscam e discutem soluções que permitam eliminar os efeitos negativos das atividades humanas.

Estas soluções incluem a reciclagem de materiais manufaturados, preservação de recursos naturais como o petróleo e a energia, a proibição de utilizar produtos químicos danosos, o fim da destruição de habitats fundamentais como as florestas tropicais e a proteção de espécies ameaçadas.

"A Terra é nossa casa e a casa de todos os seres vivos. A Terra mesma está viva. Somos partes de um universo em evolução. Somos membros de uma comunidade de vida independente com uma magnífica diversidade de formas de vida e culturas. Nos sentimos humildes ante a beleza da Terra e compartilhamos uma reverência pela vida e as fontes do nosso ser..."


3º MOTIVO


O Sport Clube do Recife está prestes a comemorar um feito histórico, jamais antes vivido por outro clube do norte-nordeste. Se ganhar esta noite a partida contra o Colo Colo (Chile), estará garantindo a sua classificação para a segunda fase da Taça Libertadores da América.

Recebi durante todo o dia, votos de "bom jogo" de muitos amigos e conhecidos. Um deles me chamou muito a atenção. Meu amigo João Neto, Alvi Rubro de coração, me afirmou que estava com o placar no jogo na cabeça: 3x1 para o Sport.

Lógico que este desejo dele tem um fundo oposto ao desejo de qualquer Rubro Negro. Os amigos sabem que João Neto torde para o time do Parque Antártica e sabe que se o Sport ganhar com esse placar, seu time que está na briga, Palmeiras, vai para a última partida precisando apenas de um empate.

João Neto, portanto, não está torcendo para o futebol de Pernambuco, tampouco para o Sport Clube do Recife. o garoto é esperto. Mesmo assim, ele me desejou sorte. Ou não?! Pelo menos ele não teve a reação do meu irmão mais novo - Helio Lira que odeia o Sport - afirmou que a boa fase do Sport acaba hoje.

Bom, eles disseram que o Sport estaria acabado a partir dos jogos com o Palmeiras. Não foi. Depois disseram que o Sport não se consagraria Tetra Campeão nas costas do náutico. Também erradamente morderam a língua. Espero que eles continuem com estes palpites...

Sport, é Pernambuco em Campo. Queiram os arquirivais ou não.


Hoje, realmente, é um dia Histórico!


terça-feira, 21 de abril de 2009

68 ANOS DA MAJESTADE


colocadas de lado as "provocações" aos vice campeões pernambucanos até a data de ontem - por me sentir satisfeito com o silêncio que impera entre eles e eu - quero registrar minha homenagem ao maior cantor que o Brasil já teve a honra gerar em suas terras: O Rei Roberto Carlos!

Domingo, 19 de Abril, dia do Índio, foi marcado pelo primeiro Show do Rei em comemoração aos seus 68 anos e aos 50 anos de carreira, feito na sua cidade natal Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo.

Eu nasci e cresci ouvindo as canções de Roberto Carlos, pelo hábito de minha mãe em cantar as canções que Ele fez para quem ama, para quem é romantico, para quem gosta de letra e de melodia, para quem se importa com o planeta, com a vida, com a paz, com o Amor.

Venho lendo diversas histórias (confirmadas ou não) sobre a vida desta criatura especial, que cada vez mais me faz ser fã do homem, do cidadão, do ser humano Roberto Carlos, além vídeos no "youtube" da época da Jovem Guarda. Dentre alguns vídeos, um me marcou profundamente.

Trata-se de um trecho do programa "Quem tem medo da verdade?", apresentado por Carlos Manga na TV Record a partir de 1968, onde celebridades eram submetidas a um júri composto por figuras do meio artístico.

A vida de Roberto Carlos sempre foi marcada por mistérios e lendas. De tudo que se sabe, se fala, se especula, muito pouco se confirma. E o próprio "rei" colabora para que esse clima se mantenha sobre sua história, principalmente a pessoal.

Algumas histórias irei separar e registrar aqui no nosso Blog. Tive a oportunidade de ler alguns trechos do Livro "Roberto Carlos Em Detalhes" do biógrafo Paulo César Araújo, e será com base nele e em outras fontes de informações que iremos ler juntos.

Espero que todos leiam, comentem e se deliciem com a vida e a obra do Rei Roberto Carlos.

Aguardem.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

É SÓ UMA PIADA...



UM TORCEDOR DO SPORT FICOU COMPLETAMENTE LOUCO DEPOIS DE CAIR E BATER A CABEÇA DURANTE A FESTA DO TRI EM 2008 NA AVENIDA ABDIAS DE CARVALHO. QUANDO ACORDOU, ESTAVA DIANTE DO MÉDICO QUE LHE DISSE:
- Precisaremos operar sua cabeça, meu amigo. Você tem um aneurisma cerebral que precisaremos retirar...

- Tudo bem, doutor. Essa cirurgia veio em boa hora. Eu quero me tornar Tricolor! - disse o paciente, demonstrando tranquilidade.

- Como assim? Você não é Rubro Negro? - indagou o médico.

- Era. Quero ser torcedor do Santa Cruz de agora por diante. Aproveite que vai abrir minha cabeça e coloque esse meu desejo lá dentro, por favor...

COMEÇOU A CIRURGIA.
O NEURO CIRURGIÃO RETIROU O ANEURIMA COM SUCESSO. LOGO QUE TERMINOU A PARTE MAIS DELICADA, LEMBROU DO DESEJO DO SEU PACIENTE DE SE TORNAR TRICOLOR. FOI ATÉ AO BANHEIRO E COLETOU ALGUMAS GRAMAS DE COLIFORMES FECAIS E COLOCOU DENTRO DA CABEÇA DO SEU PACIENTE.

QUANDO ACORDOU EM SEU QUARTO, O PACIENTE E EX RUBRO NEGRO, FOI LONGO CANTANDO A MÚSICA DOS ANALFABETOS QUE ESTÃO APRENDENDO A LER:
N...A...U...T...I...C...O!!!

O MÉDICO, DECEPCIONADO, DISSE:

- Eu não acredito. Coloquei merda demais na cabeça do rapaz...

Torcida do náutico afirma que quase 73% já tiveram experiências homossexuais



A lenda não é tão lenda assim.

A torcida alvirrubra da capital recifense em Pernambuco, cansada de ser chamada de “Barbie” em tempos recentes, resolveu fazer uma enquete entre seus associados.

Na pesquisa, além de todas as perguntas sobre a paixão alvirrubra, também continha perguntas sobre sexualidade. Um dirigente da entidade, que não quis se identificar, relatou para a nossa reportagem que ficou surpreso com os resultados. “Eu fiquei surpreso e triste com o resultado da pesquisa” – disse o dirigente.

O resultado dói mesmo surpreendente, pois apesar de todas as brincadeiras dos arqui-rivais, ninguém poderia imaginar com toda a certeza se os alvirrubros eram ou não “Barbies”. “Estou bastante frustrado, pois sem saber nós mesmos provamos o que rubro-negros e tricolores nos chamavam”, completou o dirigente.
Em uma das questões da enquete, era perguntado se o pesquisado já havia tido “experiências” sexuais com outros do mesmo sexo, mesmo classificadas “leves”.

O resultado foi um golpe mortal para a diretoria da torcida alvirrubra, pois 72,8% dos associados e freqüentadores da entidade tiveram relações homossexuais, pelo menos uma vez na vida.
Alguns integrantes da torcida se defenderam, alegando que a pesquisa era secreta, e que se soubessem que o resultado poderia vazar para a imprensa, não teria dito a verdade. “Vazou na imprensa e agora temos que aguentar a gozação. "Se soubesse, não teria respondido aquela pergunta” – finalizou inconformado um torcedor.

FONTE:
UOL ESPORTES – ULTIMAS NOTICIAS – 23 DE NOVEMBRO DE 2007.

domingo, 19 de abril de 2009

INVÍCTO TETRA CAMPEÃO EM CIMA DA BARBIE



São agora 38 títulos estaduais rubro-negros, contra 24 do Santa Cruz, e 21 do Náutico. O Sport conquistou o tetracampeonato pernambucano, de forma invicta, ao segurar o empate em 0 a 0 com o Náutico, neste domingo, no estádio dos Aflitos.
A campanha de 19 vitórias e três empates, em 22 jogos, consolida a supremacia do Rubro-negro no estado. Além de confirmar a supremacia estadual, com o 38º título do Campeonato Pernambucano, o Sport chega a uma impressionante marca de sete turnos vencidos em seqüência na competição.
O TIME TETRA CAMPEÃO
Magrão; Igor, César e Durval; Moacir, Hamilton, Daniel Paulista (Andrade), Paulo Baier e Dutra; Wilson e Vandinho (Ciro)
Técnico: Nelsinho Batista
Campeão pernambucano de 2006, 2007, 2008 e 2009.
Campeão seguido de sete turnos estaduais.
Campeão invicto em 2009. Campeão antecipado.
PARABÉNS PARA A NAÇÃO RUBRO NEGRA!
LIBERTADORES É NOSSA META!

sábado, 18 de abril de 2009

GRAVATÁ ESTÁ FORA DO PROGRAMA "MINHA CASA, MINHA VIDA"




A Caixa Econômica Federal disponibilizou aos estados e municípios, a partir da segunda-feira (13), o termo de adesão ao programa Minha Casa, Minha Vida, que tem como meta a construção de 1 milhão de casas em todo o território nacional.


O banco também fornece o modelo de instrução de doação de terreno. As construtoras e os movimentos sociais interessados em participar podem apresentar as propostas nas 78 superintendências regionais da Caixa.
Confira as cidades pernambucanas que estão dentro da lista de beneficiadas pelo programa Minha Casa, Minha Vida:

Abreu e Lima
Cabo de Santo Agostinho
Camaragibe
Caruaru
Garanhuns
Igarassu
Jaboatão dos Guararapes
Moreno
Olinda
Paulista
Petrolina
Recife
São Lourenço da Mata
Vitória de Santo Antão


FONTE:

Ó, DÚVIDA CRUEL!
ALGUÉM PODE ME INFORMAR O MOTIVO DE GRAVATÁ ESTÁ FORA DA LISTA DOS MUNICÍPIOS BENEFICIADOS COM O PROGRAMA "MINHA CASA, MINHA VIDA"?

PRIMEIRA NOITE DO ABRIL PRO ROCK 2009




O festival Abril Pro Rock, que é um dos festivais mais importantes do Brasil pela sua trajetória, chega à sua 17° edição. Este ano, o APR conta com dois dias de programação, a sexta e o sábado, diferente de como costumava ser nos últimos anos, que também contava com o domingo.


Na primeira noite, o evento recebe nada mais nada menos que a banda inglesa Motörhead como atração principal, vindo pela primeira vez ao nordeste. A noite ainda conta com as bandas Matanza, AMP, Black Drawing Chalks e Decomposed God, que fizeram a abertura de luxo para a apresentação de gala.


Quem deu início aos acordes da noite de peso foi a banda AMP, que, por causa da boa repercussão do show do ano passado, volta ao festival para mais uma apresentação. No palco dois, a banda trouxe seus riffs bem cuidados e bem elaborados para um público que ainda chegavam para a festa.


Com um público ainda pequeno, os goianos da Black Drawing Chalks apresentaram seu puro rock and roll de qualidade e mostraram por que vêm tocando tanto por ai. A banda foi bem recebida pela platéia recifense, que gostou do que viu.


Depois de ter tocado no festival (APR) em 2005, a banda Matanza volta com força total e é a única banda da noite que divide o palco principal com a Motörhead. Jimmy começa o show dizendo “Todo mundo que tá aqui veio ouvir a melhor banda do mundo, mas antes vocês vão ouvir o Matanza”.


Quando a banda começou, o público veio conferir e cantou junto clássicos como "Bom é quando faz mal" e "Clube dos canalhas". Na hora do show do Matanza, ocorreram alguns problemas no som, mas nada que comprometesse a ótima apresentação da banda.


E a última a banda a subir ao palco dois foi a pernambucana Decomposed God, que retorna ao festival depois de ter tocado em 2002. Na apresentação, a banda trouxe para o público canções do novo álbum , “Bestiality”, e mostrou por que resiste há tanto tempo, com 17 anos de estrada e com público fiel ao death metal. 34 anos de carreira. Disco lançado ano passado (24° álbum, “Motörizer”). Pela primeira vez no nordeste brasileiro.


Motörhead, a banda mais esperada da noite sem sombra de dúvidas. Uma apresentação que contou com um público forte interagindo do começo ao fim com a banda inglesa comandada por Lemmy Kilmister (vocalista e baixista) e vai ficar para história do Festival e do rock recifense. Foram quase duas horas de heavy metal protagonizado pelos ingleses. A cada canção, uma complementação espiritual para os roqueiros presentes. No final, a banda ainda volta para um bis, com direito a algumas músicas para exaltação dos presentes. Um show realmente apoteótico.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Por Lucivânio Jatobá*



"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou ontem que o governo irá mudar o cálculo do rendimento da caderneta de poupança e reduzir os juros pagos aos poupadores."Daqui a pouco as grandes multinacionais vão querer colocar o dinheiro na poupança.
Vamos discutir tudo com muita cautela. Primeiro, precisamos proteger o pequeno poupador. Segundo, nós não podemos permitir que pessoas que têm muito dinheiro utilizem o dinheiro para aplicar na poupança", disse o presidente."
( Fonte A Folha de São Paulo, 17 /4/9009)
Pergunta: É CRIME POUPAR ?????
*Lucivânio Jatobá é Professor da Universidade Federal de Pernambuco

quarta-feira, 15 de abril de 2009

VAMOS RIR UM POUCO?



Lula, Obama e o Papa viajavam em um avião, quando aparece em uma das asas o Diabo, com uma enorme serra e começa a cortar a asa da aeronave.
Quando viram o diabo ficaram apavorados, ao que o Lula se vira pro Obama:
- Obama, você que sabe falar e argumentar como ninguém, convença o Capeta a parar com isso senão vamos cair e morrer todos!!!

Obama foi até lá, conversou...conversou... e nada dele parar....Foi quando voltou e implorou ao Papa:
- Papa, só o senhor mesmo poderá nos salvar... Ele não quer nem conversa...vai derrubar o avião mesmo!!!
O Papa foi até ao Diabo, usou de toda sua persuasão,argumentou o que pôde.... e nada...

Desistiu, voltou e resumiu a conversa:
- Não sei o que fazer... estamos perdidos... Vamos rezar!!!
Foi quando Lula se levantou e disse:
- Deixe comigo... Sou a última chance, vou tentar.

E lá foi ele falar com o Diabo. Não trocaram duas palavras e o Diabo parou de serrar a asa do avião. E sumiu...
Obama e o Papa perguntaram:
- O que você disse a ele ?

Eu falei:
- Companheiro! Se eu morrer, vou fundar o PT no Inferno.

terça-feira, 14 de abril de 2009

SOLIDÃO, DÁ UM TEMPO!


"A solidão é fera, solidão devora. É amiga das horas, prima e irmã do tempo. Que faz nossos relógios caminharem lentos, causando um descompasso no meu coração."
Alceu Valença.



A Revista Veja, ano passado, publicou uma excelente reportagem que nos informava que no Brasil 9% dos lares já são compostos de pessoas que moram sozinhas. Elas formam um mercado respeitável e se dizem felizes. Mas ninguém gosta de se imaginar solitário para sempre.

A tendência a viver sozinho é mundial. Alguns dos países campeões de domicílios ocupados por uma só pessoa são: Suécia, com 4)%; Dinamarca, 36%; Inglaterra, 35%; Alemanha, 30%; França, 30%; Estados Unidos, 26%. No Brasil já são 9%.

DESAGREGAÇÃO DA FAMÍLIA

Muito se tem falado nos últimos tempos sobre a desagregação da família tradicional, composta de pai, mãe e filhos morando na mesma casa. Com o alto número de separações e recasamentos, cada vez menos lares são formados exatamente por esses personagens. Além disso, já virou motivo de conversa que, como o casamento deixou de ser uma prioridade, as uniões agora ocorrem mais tarde. Pouco se comenta, no entanto, a respeito de um subproduto dessa nova realidade: o número de domicílios habitados por apenas um homem ou uma mulher. Hoje em dia, para um contingente cada vez maior de pessoas, morar só é um estilo de vida – não importa se bom ou não, feliz ou infeliz.

JÁ SÃO 4 MILHÕES NO BRASIL

Segundo o levantamento mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 4 milhões de brasileiros moram sozinhos. Essa fatia ocupa 9% dos domicílios do país. Em algumas capitais, como Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, uma em cada 8 casas tem apenas um morador e metade dos apartamentos e "flats" é ocupada por uma única pessoa. A quantidade dos que vivem sozinhos, no Brasil, é pequena se comparada à da Inglaterra, onde um terço das casas tem apenas um morador, ou à cidade de Paris, em que 50% são habitados por uma pessoa somente. Mas viver só é uma tendência mundial na qual o Brasil se enquadra perfeitamente. "Nos últimos 18 anos houve um crescimento de 41% no número de pessoas que moram sozinhas no país", contabiliza o sociólogo Rafael Osório, consultor do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA).

VANTAGENS DE MORAR SOZINHO

Na maioria das vezes, diz a Veja, as pessoas que vivem sozinhas são independentes e instaladas em lares confortáveis. Gostam de proclamar que é ótimo não ter de dar satisfação de nada a ninguém e costumam fazer uma lista as vantagens de ser sozinho – assistem ao que desejam na televisão, decoram (ou bagunçam) a casa de um jeito todo pessoal, entram e saem sem dar explicações, lêem até altas horas na cama, etc. Mas, à medida que o diálogo avança, não é difícil extrair dos solitários a confissão de que a perspectiva de viver só para sempre é preocupante. Para alguns, chega a ser apavorante. No balanço geral, querem mesmo é ver mais uma escova instalada no copo em cima da pia do banheiro, ainda que não imediatamente.

Um grupo de discussão de pessoas entre 30 e 40 anos, em São Paulo, solteiros, viúvos e separados demonstrou as vantagens e desvantagens de viver só. Em sua maioria, convivem sem grandes problemas com a falta de companhia, mas manifestaram o medo de permanecer solitários para o resto da vida.

"E SE EU CAIR?"

É claro que é possível viver bem sozinho, mas, em certos momentos, é difícil driblar a tristeza de não ter ninguém ao lado. Para não falar dos pensamentos terríveis que atormentam as pessoas sós de qualquer idade – do tipo "E se eu cair, bater a cabeça e desmaiar, quem vai me socorrer?". Tudo fica mais complicado, porém, para os que deixam de ver no horizonte a possibilidade de ter um companheiro. Nessa hora, bate a culpa e a auto- estima baixa a níveis abissais. "A solidão pode levar a que a pessoa forme uma imagem negativa de si própria e julgue que ninguém a aprecia". A dor de estar só é um dos preços a pagar pelo individualismo. Os mais pessimistas chegam a dizer que, mais do que nunca, as pessoas estão propensos a enxergar na família apenas um instrumento de realização pessoal.

O SENTIMENTO MAIS TEMIDO

"A solidão é um dos sentimentos mais temidos pelo ser humano. Todo mundo sabe que muita gente que se casa aos 50, 60 anos não o faz porque está apaixonada, mas para garantir uma companhia no futuro". Mas à medida que mais e mais pessoas entram na idade madura sozinhas, mais assimilável vai se tornando o conceito. Ser solteiro aos 35 anos não é mais sinônimo de homem volúvel demais ou homossexual. Ser solteira aos 40 não mais represente, obrigatoriamente, mulher encalhada, a coitadinha que ficou para titia.

"Viver sozinha foi a decisão mais acertada que já tomei", afirma uma publicitária de 34 anos. Depois de um casamento de 6 anos, ela preferiu alugar um quarto-e-sala a voltar a morar com a mãe em um apartamento de frente para o mar. Apesar de estar gostando da experiência ela sonha em casar novamente. "Adoro ser independente, mas sinto falta de um companheiro, tanto para trocar lâmpadas como para conversar. É penoso não ter ninguém ao lado quando o telefone toca de madrugada. Receber uma notícia ruim sozinha é desesperador."

A FALTA DE UM PARCEIRO CONTRIBUI PARA DEBILITAR A SAÚDE

É o que dizem os médicos. Explica-se: os solitários tendem a levar uma vida mais desregrada, o que, do ponto de vista orgânico, é uma bomba relógio. Por outro lado, a solidão força a pessoa a conviver consigo mesma dentro de um quadro de introspecção que pode tornar-se insuportavelmente sufocante.

As estatísticas confirmam que solteiros e divorciados têm mais possibilidade de suicídio e de ficarem deprimidos. Além disso, diminuem sua expectativa de vida. Entre os casados com 48 anos de idade, cerca de 90% deverão viver até os 65 anos. Já entre os solteiros, a expectativa é de 60%. "É curioso notar que quem mora só e acredita estar bem assim, afirma que trocou a tensão, a raiva e o stress do convívio doméstico pela tranqüilidade de viver sem ninguém", afirma psicanalista Luiz Alberto Py. "Viver só, no entanto, dá muito trabalho. É chato não ter ninguém para cuidar da casa ou de nós quando ficamos doentes. Além disso, nem sempre é satisfatório ter de pegar a agenda do telefone e sair pelos bares para dar um jeito na via sexual", acrescenta.

UM HOMEM PARA CHAMAR DE SEU

Mais numerosas no bloco do eu sozinho, as mulheres são vítimas da chamada "compressão do mercado matrimonial", nome pomposo para a conhecida falta de homens dispostos a casar. "Nos grupos de discussão acompanhados por VEJA, percebe-se claramente como boa parte das mulheres não consegue enxergar a possibilidade de casar-se", diz a psicóloga Suzy Cortoni. "Elas nem falam em filhos, porque acreditam que só por um golpe de sorte vão constituir família. Já o homem tem certeza de que vai encontrar uma parceira – pessoa fixa para fazer sexo, ficar junto no fim de semana e cuidar dele se ficar doente." Outra conclusão do grupo é que a falta de oportunidade está longe de significar falta de vontade: as mulheres querem, sim, um homem para chamar de seu.

LIBERDADE

Por outro lado, "em vez de economizarem para a educação dos filhos, os sozinhos investem neles mesmos, gastando o que querem com "personal trainers", salões de beleza, spas e tudo que lhes propicie conforto e prazer no dia a dia", comenta Ana Paula Cortat, diretora de pesquisa da agência de publicidade Leo Burnett. "Preenchem o cotidiano com diversas atividades para não se sentirem sós: fazem cursos, experimentam terapias alternativas, etc. Os serviços de entretenimento são os grandes beneficiários desse novo grupo de pessoas. Nos Estados Unidos, em 30 anos aumentou em 50% o número dos sozinhos, que movimentam 80 bilhões de dólares. No Brasil, 30% das viagens a passeio são feitas por eles. Metade dos aparelhos de DVD e um terço dos telefones celulares do país (sendo o telefone, como se sabe, o melhor amigo de quem mora sozinho), estão nas mãos de solteiros, divorciados e viúvos.

BOA E RELAXANTE

Falou-se que a solidão pode ser boa e relaxante. Ela é importante para a concentração, a memória, a reflexão e para expandir a criatividade. Para quem já se aposentou, está velho e não tem um trabalho como motivação, a solidão, quando ataca, pode ser ainda mais acachapante". Por outro lado, viver sozinha, seja por não ter se casado, seja por ter se casado e separado, não é mais problema. Ser solteiro aos 35 anos não é mais sinônimo de homem volúvel demais ou homossexual. Ser solteira aos 40 não mais representa, obrigatoriamente, mulher encalhada, a coitadinha que ficou para titia. Mas, apesar de muitas gostarem de viver sozinhas, muitos sonham em casar novamente. É penoso não ter ninguém ao lado quando o telefone toca de madrugada. Receber uma notícia ruim sozinha é desesperador.

"Nunca tive família. Minha família sempre foram meus amigos. O que me entristece é que muitos deles já se foram e é disso que tenho medo: viver demais e acabar sem ninguém com quem eu possa dividir meu passado", diz Margarita Schullman, que, aos 78 anos, mora nos asilo Lar Golda Meir, em São Paulo. Não há, na vida de quem é sozinho, uma medida que permita diferenciar, como no colesterol, a quantidade de solidão "boa" e "ruim". Uma pessoa pode passar a maior parte do tempo sozinha e se sentir bem, ser boa companhia para si mesma. Outra pode estar cercada de gente e se sentir única no mundo – o que é fruto das circunstâncias (um casamento infeliz, por exemplo).

Para evitar a solidão, há os que têm bichos de estimação e os que se apegam a afilhados e parentes. Ter família, ou alguma companhia, é uma apólice de seguro para a velhice, e quem não tem sente que precisa arranjar alguém para exercer esse papel. "Estreitar os vínculos com os amigos vai ganhando importância com a idade", comenta a psicóloga Ceres Araújo. Outro solitário, com 80 anos, confirma que momentos de solidão profunda podem ser atenuados quando se tem muita gente em volta. O truque que ele usa é reviver a vida. Mas, às vezes, quando vê ma TV cena de família fazendo festa, fica muito triste. E chora, chora muito. Depois, lava o rosto e vai dançar. Ele encara da melhor forma possível um dos piores pesadelos de quem mora sozinho: o de terminar seus dias num asilo de velhos.

SOLUÇÕES NO RECIFE

Até aqui, o resumo do que foi publicado pela Revista VEJA. Nós acrescentamos: muitas iniciativas vêm sendo tomadas para atender a esse grande mercado dos idosos ou dos que vivem sozinhos. O Recife é, provavelmente, a cidade do país que têm maior número de clubes de dança e de turismo do país. Na Segunda-feira, temos dois clubes que oferecem festas. Na Terça, são dois também. Na Quarta, já são quatro!, e assim por diante. Por isso, os idosos ou sozinhos, os casais adultos que querem se distrair num ambiente sadio e em horário mais conveniente (porque, em geral, essas festas começam às 16 horas e terminam às 20) têm muitas opções de diversão, de turismo. Em se tratando de Clubes, temos, na Terça feira, dois grandes que reúnem a preferência de muitos adultos: o Clube dos Amigos (que recebe pessoas de qualquer idade, embora seja orientado para o público adulto), e o Clube Emoções, que é para os maiores de 50 anos. Ambos têm suas festas intercalando na Terça-feira, no Clube dos Oficiais da Polícia Militar de Pernambuco, Rua João de Barros, 399, Recife.
INFORMAÇÕES pelo fone 81-3221-2317.

Por outro lado, existe em Pernambuco um empreendimento especial para os adultos que querem viver sozinhos num ambiente seguro e agradável, por reunir em pequenas casas independentes, mas num mesmo condomínio, as pessoas nessa faixa etária. Trata-se do Condomínio Fechado Villa Harmonia, em Igarassu. Lá, numa área de 12,5 hectares, existe já uma pequena comunidade de pioneiros que usam do ambiente de uma granja cheia de fruteiras, com piscina, pista de Cooper, restaurante, luz elétrica, água encanada e telefone. Existem também casas construídas para vender e alugar para fins de semana a preços razoáveis. É uma solução, porque garante a privacidade e a vida em uma comunidade de pessoas que têm os mesmos problemas e procuram solucioná-los.
INFORMAÇÕES: Clubes para adultos e Villa Harmonia – fone 81-3221-2317.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

PARA COMEÇAR A SEMANA




O QUE É SER ÉTICO?


Ser ético nada mais é do que agir direito, proceder bem, sem prejudicar os outros. É ser altruísta, é estar tranqüilo com a consciência pessoal. "É cumprir com os valores da sociedade em que vive, ou seja, onde mora, trabalha, estuda, etc". Ética é tudo que envolve integridade, é ser honesto em qualquer situação, é ter coragem para assumir seus erros e decisões, ser tolerante e flexível, é ser humilde. Todo ser ético reflete sobre suas ações, pensa se fez o bem ou o mal para o seu próximo. É ter a consciência "limpa".

domingo, 12 de abril de 2009

ADEUS A CARLOS WILSON


Advogado, Wilson foi da Arena na década de 70 e estava em sua quarta legislatura como deputado federal. Antes de chegar ao PT em 2003, passou por PMDB (1980 a 1992), PSDB (1993 a 1999) e PTB (1999 a 2002). Foi vice-governador de Pernambuco entre 1987 e 1990 e chegou a assumir o governo entre 1990 e 1991.


Também foi senador por seu Estado de 1995 a 2003. Durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi presidente da Infraero, cargo que ocupou até 2006. Entre suas proposições na Câmara, é autor da proposta de emenda constitucional que prevê suspensão do mandato para quem responde a processo por ferir o decoro parlamentar.


Em fevereiro, durante a votação para escolher o novo presidente da Câmara, Wilson sentiu-se mal e deixou o plenário antes do fim da votação. Por volta das 22h deste sábado (11) em Recife o deputado federal Carlos Wilson (PT-PE), foi vencido pela doença e partiu para a eternidade aos 59 anos.
De acordo com o hospital Santa Joana, onde Wilson estava internado, o câncer do deputado, que começou nos rins, já estava em estado avançado e havia atingido outros órgãos. Ele lutava contra a doença há cinco anos e estava internado em um hospital em Recife desde o dia 3 de março.

O GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO
Em nota oficial, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos lamentou o falecimento de Carlos Wilson. Campos afirmou que a morte é um trauma muito grande para Pernambuco. “Ele foi um homem que amou muito a vida e queria muito bem o nosso estado. Em sua atuação, ele procurou sempre unir as pessoas e valorizar o que de melhor cada um de nós tinha para dar”, disse o governador.


O PRESIDENTE DA REPÚBLICA
“Nós perdemos um companheiro leal e solidário. Acho que, agora, ele descansou e a gente só tem que esperar que a família seja forte, porque não existe palavras para consolar a morte. Mas, para quem é cristão, acredita em Deus e em outro mundo, fica mais fácil porque a gente tem a expectativa de ir para um lugar melhor”, falou o presidente.


O PARTIDO DOS TRABALHADORES
O PT divulgou nota informando que a direção nacional do partido lamentou “profundamente” o falecimento do deputado que estava em sem quarto mandato, representando Pernambuco com muita honra.


A CÂMARA DOS DEPUTADOS
Segundo a assessoria do presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, a Casa estará em luto oficial na segunda-feira (13) pela morte de Wilson e do deputado João Herrmann Neto (PDT-SP), que morreu na madrugada deste domingo em São Paulo. Com o luto, não haverá atividade no plenário.


Cali, como era mais conhecido, estava na política há 36 anos. Ele entrou na política nos anos 70, com o hoje senador Heráclito Fortes (DEM-PI) e o deputado Ciro Gomes (PSB-CE). Militavam na Arena Jovem e organizaram um encontro com o então presidente João Figueiredo. Justamente quando seu pai, o ex-senador Wilson Campos (Arena) foi cassado por corrupção pelo regime militar.

Como a maioria dos politicos, Wilson passou por vários partidos. Nos anos 80, filiou-se ao PMDB. Com o crescimento da influência de Miguel Arraes, foi vice da chapa do ex-governador, em 1986. Assumiu o governo em 1990. Foi quando se aproximou de Lula, que havia perdido a eleição, e foi recebido com honras em Pernambuco. Lula nunca esqueceu o gesto.

Sempre próximo do poder, o deputado já foi considerado o melhor amigo do senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA). Passou pelo PPS e pelo PTB. Em 2002, teve um problema familiar: perdeu a vaga de senador para o tucano Sérgio Guerra, casado com uma irmã de sua mulher.

O corpo foi velado no Palácio do Campos das Princesas, sede do governo pernambucano, e o sepultamento ocorrereu no fim da tarde de hoje (12) no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na região metropolitana de Recife. Carlos Wilson deixou três filhos do primeiro casamento e a viuva Helena Brennand.

BOA VIAGEM DEPUTADO.

sábado, 11 de abril de 2009

ONDE ESTÃO AS TURBINAS EÓLICAS DE POMBOS?


É sabido por todos que Pernambuco terá cinco centrais para geração de energia eólica.
A previsão era que a construção das turbinas iniciassem em Fevereiro em três municípios: Pombos, Gravatá e Macaparana. No entanto, como em todo planejamento desse, está havendo um atraso signficativo no início das obras.
Em Gravatá, cidade que receberá duas turbinas, as obras que cabem ao parceiro local já foram iniciadas com alargamento de estradas e organização do espaço rural onde serão instaladas as torres. Segundo o proprietário da fazenda onde as turbinas serão instaladas - Bruno Martiniano, é possível que em menos de seis meses as torres de 80 metros já estajam de pé e prontas para gerar, junto com as outras, cerca de 22 Megawatts de energia, suficiente para abastecer cerca de 150 mil habitantes, com um consumo médio de 150 kilowatts-hora/mês. Também temos informações que a cidade de Macaparana está pronta para receber as suas duas torres, com rotor de 41 metros de comprimento gerando energia limpa que será vendida à Elerobrás.
Serão investidos R$ 110 milhões, sendo R$ 20 milhões em recursos próprios pela Eólica Tecnologia Ltda. e R$ 80 milhões financiados pelo Banco do Nordeste. As obras têm previsão de conclusão em dezembro próximo.
MAS... E POMBOS? NÃO SE FALA NO ASSUNTO NA CIDADE. PERGUNTO SEMPRE AOS FUNCIONÁRIOS QUE TRABALHAM NA SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE, NA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO E ATÉ A VEREADORES E NINGUÉM SABE DE NADA. SERÁ QUE POMBOS ESTÁ QUERENDO PERDER OPORTUNIDADE DE TER UMA TORRE EÓLICA EM TERRAS DO SEU MUNICÍPO?
FIQUEI PREOCUPADO PORQUE ANOS ATRÁS, ENTRE OS ANOS 2000 E 2001, O GOVERNO DO ESTADO OFERECEU 1% DO SEU ICMS AOS MUNICÍPIOS QUE DESENVOLVESSEM AÇÕES EM PROL DO MEIO AMBIENTE, NA ADMINISTRAÇÃO FINAL DOS RESÍDIOS SÓLIDOS, EM ESPECIAL.
PROCUREI NA ÉPOCA O SECRETÁRIO DE AGRICULTURA E MEIO AMBIENTE, APRESENTEI UM PROJETO FEITO EM PARCERIA COM O AMIGO E PROFESSOR DE BIOLOGIA GUSTAVO ADOLFO, NO QUAL DESENVOLVERIAMOS UMA COOPERATIVA DE RECICLAGEM DO LIXO. EXPLICAMOS QUE ERA UM EXCELENTE NEGÓCIO DO PONTO DE VISTA AMBIENTAL E FINANCEIRO, ONDE TODOS SAIRIAM GANHANDO.
MEU PROJETO NUNCA FOI ACEITO E O PRAZO DE INSCRIÇÃO JUNTO AO GOVERNO DO ESTADO TEVE FIM. E O MUNICÍPIO, NA ÉPOCA ADMINISTRADO PELO RECENTE PREFEITO ELEITO JOSUÉ VICENTE, PERDEU UMA GRANDE OPORTUNIDADE DE TER UMA COOPERATIVA QUE SERIA RESPONSAVÉL PELA COLETA SELETIVA DO LIXO URBANO, DANDO UM DESTINO FINAL AO MESMO, PROMOVENDO LIMPEZA E EQUILÍBRIO AMBIENTAIS, GERANDO RENDA E TAMBÉM SENDO REFERÊNCIA NO ESTADO PARA OUTROS MUNICÍPIOS.
QUANTO NÃO IRIAMOS GANHAR?

“É uma energia com preços competitivos e ecologicamente correta”, apontou o empresário Everaldo Feitosa. Ele explicou que o custo da energia gerada por usinas eólicas é equivalente a 1/3 do das termelétricas a óleo combustível que operam hoje no País. PhD e pioneiro na pesquisa da geração de energia eólica no Brasil, Everaldo Feitosa foi o principal responsável pela construção da primeira turbina de geração de energia eólica do País, em 1995.
A unidade foi instalada em Olinda (PE), pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com apoio do governo do estado. Com potência de 300 kW, a turbina funciona até hoje e é usada para formação de pessoal, treinamento, pesquisa e demonstração da tecnologia.
(Envolverde/Min de Ciência e Tecnologia)
http://envolverde.ig.com.br/materia.php?cod=42697

Entenda como pode ficar a aposentadoria



A Câmara dos Deputados discute o Projeto de Lei 3,299/08, que propõe a extinção do fator previdenciário nas aposentadorias e o cálculo do benefício com base na média dos últimos 36 meses de contribuição.
Hoje, a aposentadoria leva em conta a média das 80% maiores contribuições desde julho de 1994. Ou seja as 20% menores não entram no cálculo. E o fator previdenciário normalmente reduz bastante o valor do benefício, porque considera a idade do beneficiário e sua expectativa de vida.
Quanto mais novo e/ou quanto menor o tempo de contribuição, menor será o benefício. Por exemplo, um trabalhador com 35 anos de contribuição e 53 anos de idade que tenha contribuído pelo teto se aposenta hoje com cerca de R$ 1.700 ou apenas 52% do valor máximo, que é de R$ 3.218,90.

O ministro da Previdência Social, José Pimentel, afirmou em audiência pública na Câmara que, se o projeto for aprovado como está o déficit da Previdência Social chegará a 11,09% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2050. Em números de hoje, seria algo em torno de R$ 320 bilhões.

Sem o fator previdenciário e com apenas 36 últimas contribuições entrando no cálculo, o contribuinte pode-se programar pagando valores baixos, como base em um salário mínimo por exemplo ou recolhendo apenas o valor que é descontado de seu salário, e começar nos 3 anos anteriores à aposentadoria a contribuir com valores maiores, até o teto, aumentando substancialmente seu benefício em relação ao que realmente contribuiu ao longo de 35 anos.

Quando a aposentadoria era calculada pela média das 36 últimas contribuições, o valor pago de INSS não era uma liberalidade do trabalhador. Se fosse assalariado, era com base no salário. Como autônomo, deveria obedecer a uma escala crescente de contribuições, que começava com o mínimo e ia aumentando ao longo dos anos, até chegar ao teto.
Portanto, era impossível contribuir com o máximo apenas nos últimos três anos, sem obedecer à escala de contribuições dos anos anteriores. Pela nova proposta, não há, por enquanto, nada que impeça quem contribui pelo mínimo por 32 anos começar a recolher com base no teto apenas nos 3 últimos e ficar recebendo assim por décadas.

Para ministro da Previdência, o cálculo com base nas 36 últimas contribuições beneficia os trabalhadores de maior renda, que, ao final da carreira, têm tendência a ter maiores salários, ao passo que os trabalhadores menos qualificados veem sua renda decrescer a partir dos 50 anos de idade. Uma pequena parcela dos segurados será beneficiada em detrimento da ampla maioria da população, afirma.

O ministro informou que, dos 4,6 milhões de benefícios concedidos em 2008, apenas 268,92 mil (6%) tiveram a incidência do fator previdenciário, porque foram aposentadorias por tempo de contribuição. Essa modalidade de aposentadoria representa 15,85% do volume de benefícios pagos. Mas, como são benefícios com valor mais alto, ele corresponde a 28,12% dos custos do sistema previdenciário.

LEMBREI-ME DA MINHA AVÓ-MÃE REGINA DE FRANÇA

Do hebreu Peseach, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade. É a maior festa do cristianismo e, naturalmente, de todos os cristãos, pois nela se comemora a Passagem de Cristo - "deste mundo para o Pai", da "morte para a vida", das "trevas para a luz".
Considerada, essencialmente, a Festa da Libertação, a Páscoa é uma das festas móveis do nosso calendário, vinda logo após a Quaresma e culminando na Vigília Pascal.

Páscoa, assim como o natal, é recheada de reflexões e lembranças para mim. Nos meus tempo de criança (se é que posso considerar que tal época existiu) não haviam ovos de páscoa, chocolates, coelhinhos e guloseimas tão presentes nos dias de hoje. No entando, havia uma figura que na minha vida foi fundamental para a minha chegada aos dias de hoje. Ela que desencarnou há quase três anos, estava sempre preocupada em ser e não apenas ter algo pra me dar, fosse na páscoa, fosse no natal, fosse no meu aniversário.
Minha avó, Regina de França Vieira, filha descendente de índio e português, nasceu na zona da mata norte de Pernambuco. Cuidou de nove filhos (me incluindo), venceu as mais terríveis dificuldades que um pobre posso passar, sempre com muita alegria. aliás, todos sabem, que quando ela estava em casa de minha mãe, a diversão era garantida.
Minha avó (mãe duas vezes) é uma das figuras que sempre me recordo em épocas que nos exigem reflexão. Páscoa, Passagem, Libertação e Vida são versos de uma mesmo poema de vida que se consolida através da eternidade. Ela viveu carnalmente muitas páscoas ao meu lado. E hoje, está apenas em minhas doces lembranças pascais. Foi vencida pelo tempo, que trouxe consigo doenças degenerativas... Uma delas, acabei de ler uma reportagem, foi presente nos últimos anos de vida da minha avó: O Mal de Alzheimer.
Lembrando de minha avó, pensando na páscoa e em seu sentido, edito aqui o resumo da reportagem que fala desse mal contemporâneo. Compartilho, como sempre faço, as informações que possam nos ensinar, nos orientar e nos formar como pessoa, como cidadão. Eis:
"TESTE PODE REVELAR TENDÊNCIA A ALZHEIMER"

Um simples teste com o qual se detecta a hiperatividade de uma região do cérebro que tem um papel vital na memória poderia ser suficiente para descobrir se alguém desenvolverá mal de Alzheimer, o que permite que receba o tratamento antes que os primeiros sintomas apareçam.

Esta é a principal conclusão de uma pesquisa realizada pela Universidade de Oxford e pelo Imperial College de Londres, na qual foram comparadas as atividades cerebrais de 36 voluntários, com idade entre 20 e 35 anos, através de um scanner, a metade deles com o gene ApoE4, relacionado com esta doença.

Os pesquisadores consideram que os portadores deste gene, ligado, por sua vez, à hiperatividade no hipocampo, têm mais possibilidades de desenvolver a doença do que os que não possuem esse gene.

Além disso, a descoberta poderia ser o primeiro passo no desenvolvimento de um método simples de revelar que pessoas têm mais possibilidades de desenvolver o mal quando ainda são jovens, afirma o estudo, publicado hoje pela revista "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Desta forma, através de um simples teste seria possível oferecer tratamento cedo aos que tiverem maior risco de sofrer de Alzheimer.

Este estudo tomou como base outra pesquisa prévia que demonstrou que as pessoas que possuem uma cópia do gene ApoE4, relacionado com esta doença, tem quatro vezes mais possibilidades de desenvolvê-la.

As pessoas que herdam duas cópias deste gene correm dez vezes mais risco, mas os pesquisadores lembram que nem todo aquele que tiver precisa obrigatoriamente desenvolver a doença.
(EFE-Londres/Folha)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

FERIADÃO VAI ACABAR?


Na última sexta-feira, a CCJ (Comissão Cidadania e Justiça) da Câmara dos Deputados deu parecer favorável a propostas em trâmite naquela Casa que, se aprovadas, devem colocar fim aos feriados prolongados nas repartições públicas.

As propostas que tramitam na Câmara dos Deputados, com o objetivo de acabar com os feriados prolongados, foram apresentadas em 2003, pelos deputados Marcelo Castro (PMDB-PI) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Na sexta-feira da semana passada, a CCJ aprovou o adiamento, para as sextas-feiras, dos feriados que caírem no meio da semana. As exceções serão para os dias 1º de janeiro, 7 de setembro e 25 de dezembro.

Relator do projeto na CCJ, o deputado Regis de Oliveira (PSC-SP) votou pela "constitucionalidade, juridicidade e boa técnica legislativa" dos projetos dos dois deputados. Ele chegou a propor que as regras fossem limitadas a feriados federais, por considerar que estados e municípios têm suas legitimidades. A proposta, para virar lei, ainda depende de aprovação em plenário, além de passar por apreciação do Senado.

Oliveira, em seu parecer, ao explicar que o grande número de feriados que caem no meio da semana dificulta as atividades produtivas, também destacou que os feriados de meio de semana deveriam respeitar apenas as tradições religiosas e de lazer da população.
De fato, se compararmos as grandes economias do mundo com Brasil, nesse quisito de férias e feriados, estamos acima da média mundial. Assim como também estamos acima no número de Deputados e Senadores que apenas trabalham de terça a quinta-feira, tadinhos!
Se querem mudar a questão das "folgas" que possui um trabalhador brasileiro, que tal começar por moralizar o Congresso Nacional? Temos certeza, eu e o povo brasileiro, que nós trabalhamos muito mais que o parlamentar. Não discuto a importância e o status das funções. Mas sei que um Senador não iria gostar nada se chegasse nas suas cidades e visse o lixo tomando sua calçada. Um gari trabalha muito Senadores e ganha uma miséria que eu fico pensando como pode um pessoa com duas ou três pessoas dentro de casa, sobreviver com uma vergonha de salário. Vocês, em quantidade de horas e produtividade, jamais ganhariam de um Professor, por exemplo, que no Brasil ainda precisa ter vínculos em outras escolas e municípios para poder ter uma vida mais digna. E onde os senhores sao melhores que nós?
Porque os senhores não já se reuniram e decretaram o valor justo para os salários do professor a nível nacional? Porque os senhores já não se reuniram e pressionaram o senhor presidente a assinar o pagamento dos anistiados políticos que penam por justiça e retratação monetária há mais de 10 anos? Porque os senhores já não aprovaram a reforma tributária, a reforma politica?
Realmente, vocês não têm o que fazer!
Vão trabalhar!

domingo, 5 de abril de 2009

A PAZ É FRUTO DA JUSTIÇA

“Enquanto alguns loucos levantam a bandeira da paz, os sãos estão nas surdinas preparando suas mortalhas contra os guerrilheiros da vergonha na cara”.
O editor.

Na última sexta-feira a cidade parou para viver a “grande” caminhada em referência ao tema da campanha da fraternidade desse ano que é "A paz é fruto da justiça". Quase todas as escolas do município fizeram parte do movimento, inclusive, as turmas do programa travessia do EPAF, todas representadas por alguns alunos e por nós professores.

Enquanto descíamos do EPAF em direção a igreja matriz, observei que havia conversas despropositadas entre alunos que nem sabiam qual o tema da campanha; captei diálogos entre professores, uns olhares, umas viradas de rosto e coisas do gênero que não condiziam com o espírito da noite. Fiquei pensando... Matutando... Questionando coisas evidentemente muito óbvias, do tipo:

“Após 2000 anos da presença do Cristo Encarnado, continuamos sonhando com a paz. Tantas invenções e tecnologias o ser humano foi capaz de criar, mas ainda não encontrou o caminho de uma cultura de paz, entendida como reconciliação fecunda”.

Antes de ir para o EPAF encontrei duas pessoas amigas. Uma é professor há alguns anos. O outro é médico contratado pela administração anterior e continuado na atual situação. Ambos muito revoltados com duas situações distintas, mas que refletem justamente o que vi na caminhada pela Paz.

Querem saber qual a ligação existente ente as histórias do médico, do professor e do que vi hoje na caminhada? Claro que sim não é?! Vamos lá. Vou começar pelo começo: o médico.

Encontrei-o consternado. Estava em frente a um supermercado e foi logo disparando a irritação, a revolta e a indignação que estava sentindo. Quis saber do que se tratava. O amigo contou que um colega de profissão havia perdido o emprego por pura maldade de uma diretora da Secretaria de Saúde, que por sinal é administrada por uma pessoa muito séria, que o médico João Augusto Pereira Lins. Meu amigo estava “p” da vida por perder um colega sem justa causa. (...)

O professor também estava revoltado porque um parente seu havia passado no último concurso e não havia sido chamado, ao passo que soube recentemente que o atual prefeito está com uma chuvarada de contratos em diversas escolas. Uma delas, segundo ele, é a Escola José Primo, onde há um número exacerbado de pessoas batendo umas nas outras. (...)

Ainda dentro do EPAF, um aluno me confessou que uma professora havia me condenado por querer descer de carro (meu carro), que minha atitude era um absurdo já que todos estavam descendo a pé, etc. etc. etc. Ora, será que eu teria que voltar da caminhada a pé pra escola, pegar meu carro e depois voltar para casa de que horas? (...)

Eu nem quero me aprofundar na análise dos fatos acima relatados. Desejo apenas promover reflexão entre todos que visitam o meu blog. Muito embora poucas sejam as visitas, tomei conhecimento que muitas pessoas da Educação em Gravatá acompanham os meus textos. Então, em respeito aos que me lêem sempre, preciso deixar um registro para a posteridade e para atualidade mais especialmente para que reflitamos que tipo de paz estamos querendo vestir no mundo, sem que incorporemos tais atitudes.

Eu fico me perguntando: - onde está a paz e onde está a justiça? Que cultura de paz é essa que alguns se vestem de branco e embrenham seus corações na sombra da escuridão? E me vem as palavras duras como diamante do Mestre Jesus:

“Sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.” (Mateus 23:27–28)

O Mestre continua implacável. A verdade e a justiça devem permear as nossas atitudes, nem que doa. Jesus foi transparente e sincero quando disse: “Ai de vós, hipócritas!” Será que somos nós, hoje, os mestres da lei e os fariseus, falsos e cínicos? Reflita - Como está a sua justiça? – Ela é verdadeira? – O que será que você poderá estar vivendo, só de fachada? Será que a cultura da paz que algumas pessoas querem implantar tem mesmo o objetivo de promover o equilíbrio, a justiça entre os gravataenses?

Afinal, o que Cultura de Paz?

“É um conjunto de transformações necessárias e indispensáveis para que a paz seja o princípio governante de todas as relações humanas e sociais. A paz não significa ausência de ação, monotonia, passividade. Pelo contrário, é algo dinâmico, em contínua construção, que exige permanente diálogo. Essa é uma caminhada que só acontece pela vontade e pela ação do ser humano. Promover a cultura da paz é, em si, o processo, o aprendizado e a meta”.

Como disseminar essa cultura entre as pessoas?

O grande desafio é que essas mudanças não dependem apenas da ação dos governos, nem somente de uma mudança de postura individual. Elas precisam ocorrer em vários níveis: indivíduo, família, comunidade, organizações privadas e públicas e Estados nacionais. Somos nós os responsáveis diretos pela incoerência da injustiça, da falta de paz entre as pessoas, sejam elas estudantes, religiosos, professores, médicos e as autoridades.

“A paz do mundo, começa em mim”, disse Nando Cordel em sua canção Paz pela Paz. Toda injustiça é uma forma de violência e um empecilho à paz. As pessoas das classes pobres e marginalizadas são duplamente vitimadas: tanto pelas modalidades de violência que ocorrem em todos os segmentos sociais, quanto pelas expressões da violência estrutural (fome, discriminação, dificuldade de acesso à educação, saúde e assistência social, falta de perspectivas) que as atingem em cheio.

A ação do movimento que a CNBB faz é louvável. Disso não tenhamos dúvida. O tema ou lema da campanha da fraternidade é atualíssimo, seja aqui, seja em outro país. No entanto, a prática, a vivência e a postura de muitos cidadãos gravataenses está longe de ser considerada uma ação voltada para a paz coletiva. O tema da campanha é tão lógico em países civilizados que alguém perguntaria: - “precisa-se realmente dizer que a paz é fruto da justiça?” Em nosso país, em nosso estado e em nossa cidade, me parece que sim.
Aqui, precisa-se dizer frases tão lógicas quanto lógico é o tema da campanha da fraternidade. Como por exemplo:

-Não pise na grama!

-Tudo acaba em pizza!

-Aqui quem manda é o dinheiro!

-Deus é fiel!

-O céu é azul!

-Lula é o presidente mais populista do mundo!

-Só Jesus Salva!

-O voto é obrigatório, assim como o alistamento militar!

-Subir pra cima e descer pra baixo! –Aff!

- O MST se perdeu na história da incongruências!



Assim caminha a humanidade para a justiça e para a paz.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

OS TROCADINHOS DE ALMIR SATER

Reflexão sobre trocadilhos e cacofonia
“Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir...”
(Tocando em Frente/Composição: Almir Sater e Renato Teixeira)

A língua portuguesa é riquíssima em recursos para desenvolvermos os mais diferenciados trabalhos. Muitas pessoas temem ao utilizar alguns recursos porque o imaginam como sendo algo não aceitável na norma padrão desta área do conhecimento. Contudo, tudo é aceitável dependendo do contexto. É o contexto que vai determinar a aceitabilidade ou não da utilização de palavras ou tantos outros meios.

Um bom exemplo disso, é uma propaganda muito usada na mídia ou em outros canais de comunicação que diz “Cidade limpa, é a gente que faz”. Ora, se fôssemos julgar pela gramática, poderíamos chegar ao limite de dizer que a construção está incorreta, pois ficaria melhor dizer “Cidade limpa, somos nós que fazemos”. Entretanto, o contexto nos permite entender a intenção do autor desta frase publicitária, que, no mínimo, quer associar a linguagem comum a todos com a contribuição que todo cidadão pode ter com a cidade limpa.
Bom, com isso chegamos ao ponto chave deste artigo, que é o estudo dos trocadilhos.

Segundo o dicionário Aulete Digital, trocadilho é um “Jogo ambíguo de palavras baseado na semelhança de sons entre elas”. Muitos artistas, músicos, publicitários utilizam-se deste recurso para ampliar a possibilidade de “leitura” que está sendo veiculada.

Na música exposta no alto destas linhas, Almir Sater utiliza-se competentemente de vários trocadilhos. É importante entender que o trocadilho às vezes é confundido com a cacofonia, mas há diferenças entre eles.

Enquanto a cacofonia se encarrega de uma mistura de sons desagradáveis, fazendo-nos lembrar de palavras chulas ou de baixo calão, uma vez que ela é usada principalmente no meio humorístico, os trocadilhos não carregam esta característica “ruim”, ainda que se apresente de forma cômica algumas vezes, não deixa o contexto parecer ridículo, pois apenas amplia os sentidos das palavras através das semelhanças de sons.

Um rápido exemplo disso é se dissermos: “Vou a Mauá” e alguém nos perguntar: “Que mal há nisso?” Percebe-se que pode até ser engraçado, mas não desagradável como no caso da cacofonia. Observe este trecho da música:

“... Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs...”.

Assim, Almir Sater nos conduz a diversas possibilidades de sentidos, mas o que mais me chama a atenção é a experiência de vida que ele transmite ao dizer que conhece as manhas, pois já viveu muitas manhãs. É claro, esta é apenas uma das muitas possibilidades de sentidos que este trocadilho nos oferta.

Fonte da imagem:

quarta-feira, 1 de abril de 2009

É PARADA OU NÃO É PARADA?

Esta será uma semana de atividades importantes para todos os profissionais de Educação. Por isso, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e suas afiliadas nos estados convocam a categoria a participar de todas as mobilizações organizadas em defesa do Piso Salarial do Magistério.
Na próxima quinta-feira, 02, às 14h, em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) será realizado um grande ato público para exigir a publicação do acórdão referente à liminar concedida à Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4167, o julgamento do mérito da ação movida pelos governadores considerados “Inimigos da Educação” contra a Lei 11.738/08 e o cumprimento da Lei do Piso.