Livro Primeiras Águas - Poesias

Este é o livro I da série Primeiras Águas.

Campanha Gravatá Eficiente

Fomentando uma nova plataforma de discussão.

A Liberdade das novas idéias começa aqui.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Papa participará de CD de Natal




CIDADE DO VATICANO — Um CD de orações e canções tradicionais natalinas com a participação do Papa Bento XVI estará nas lojas no fim do ano, informou o Vaticano nesta sexta-feira.

O padre Federico Lombardi confirmou a informação divulgada pela gravadora britânica Geffen UK/Universal, que produzirá o álbum. O lançamento está programado para o fim de novembro.

"A ideia veio da San Paolo Multimedia (a empresa de multimídia do Vaticano), que pediu à Rádio do Vaticano trechos da voz do pontífice para fazer um CD", explicou Lombardi à AFP.

O papa, destacou o padre, não teve nenhum contato direto com a gravadora britânica. Os oito trechos, retirados de discursos do Papa e rezas em diversas línguas, não chegam a dez minutos, e foram mixados com faixas musicais. O Papa João Paulo II participou em uma iniciativa semelhante em 2000, para comemorar a virada do milênio.

FONTE: (AFP)

É. Parece que a febre de gravar cds no mundo eclesiástico contagiou até o Papa Bento XVI.

Só me faz recordar a minha adolescência quando a bada Engenheiros do Hawaii lançaram o disco O PAPA É POP, com uma canção de mesmo nome, que diz assim:
...
Todo mundo tá relendo
O que nunca foi lido
Tá na cara...
Tá na capa da revista...
É qualquer nota,
Uma nota preta
Páginas em branco,
Fotos coloridas
Qualquer rota,
A rotatividade
Qualquer coisa
Que se mova
É um alvo
E ninguém tá salvo
Um disparo
Um estouro...

O Papa é Pop,
O Papa é Pop!
O Pop não poupa ninguém
O Papa levou um tiro
À queima roupa
O Pop não poupa ninguém...

MSN, o Live Messenger, completa 10 anos


Juliano Barreto, da INFO

Microsoft comemora décimo aniversário do Live Messenger com site especial que relembra história do programa.

Com um começo tímido, em junho de 1999, o mensageiro instantâneo estreou com o objetivo de fazer frente ao sucesso do AIM, da AOL, e do programa de chat do Yahoo!.


Uma década depois, e com vários números impressionantes, a Microsoft ainda não alcançou os rivais nos Estados Unidos. Mas no resto do mundo, a história é diferente.


Dois meses depois do seu lançamento, ainda em 1999, o Messenger contava com 2,5 milhões de usuários registrados. Hoje, já são mais de 330 milhões de pessoas usam o comunicador mensalmente para trocar 9,4 bilhões de mensagens por dia, de acordo com o site comemorativo pelo aniversário do Messenger.


No Brasil, o Live Messenger é a opção mais popular de bate-papo, com mais de 70% dos usuários e superando com folgas a soma da audiência de todos os concorrentes, de acordo com medições do Instituto EQO.


O programa que começou apenas como ferramenta para trocar mensagens de texto, atualmente é capaz de fazer videoconferências, tem integração com o videogame Xbox 360 e versões para diferentes sistemas operacionais, incluindo versões para celular.


Desde 2000, o Messenger também é capaz de fazer chamadas de voz via internet entre seus usuários. No decorrer dos anos, foram adicionadas funções como games multijogador e transferências de fotos e de arquivos. Outra implementação importante veio com as barras de anúncios, que transformam a popularidade do serviço em lucro.


Em junho de 2006, o programa mudou de nome, adotando o Live no lugar do MSN, assim como todos os outros serviços on-line da Microsoft. Mudança essa que ainda causa confusão dos usuários, que persistem em chamar o serviço de apenas MSN.


A exemplo do Internet Explorer, o Messenger já vem instalado no Windows o que confere ao programa uma grande vantagem sobre qualquer outro concorrente. No ramo das mensagens instantâneas, o pioneiro ICQ, mais tarde comprado pela AOL, foi soterrado pela parceria MSN Messenger e Windows.
PARABÉNS PARA O MSN E PARABÉNS PARA TODOS NÓS, FELIZES E SATISFEITOS USUÁRIOS!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VETA GESTÃO DEMOCRÁTICA CONTRARIANDO PROPOSTA DE GOVERNO DE OZANO BRITO



Prefeito Ozano Brito na COMUDE.
Foto: http://www.prefeituradegravata.com.br



Foram dois dias de muitos confrontos ideológicos educacionais. De um lado, a equipe que defendia as idéias do Executivo. Dou outro, uma pequena parcela (valente, esclarecida consciente) que vislumbra avanços no processo de desenvolvimento por uma Educação Universalizada.
O Grande Professor Ronaldo Assis (que embora faça parte do grupo da situação, não é alienado) me desafiou em uma aposta: ""A questão da Gestão Democrática irá passar. Fique tranquilo!" - disse ele em uma conversa fraterna.
apostei com ele que não passaria. Ganhei a aposta!
Em momento de debate, fiz minha defesa em prol da regulamentação da implatação da Gestão Democrática nas Escolas, por ser princípio constitucional e por ser meta da CONAE. Além disso, recordei aos presentes que a Gestão Democrática foi promessa de campanha do então candidato Ozano Brito. Ele havia "prometido" que se eleito fosse (há controvérsias) instituicionaria a Gestão Democrática nas escolas municipais, partindo das unidades com maior número de alunos.
Além de mim, Professores Lenilson Batista, Ronaldo Assis, Sunamita Oliveira, dentre outros, firmaram compromisso de forma brilhante em defender a questão da implantação da Gestão Democrática em nosso Município.
Pessoas ligadas a educação argumentam contra a Gestão, sem ao menos entender o que estamos defendendo. Outros, inflamados em defender o seu cargo ou simplesmente não poder ser contra a orientações da Secretaria, foram ovacionados pelas suas defesas...
Enfim... A Gestão Democrática não passou. Um dos pontos chave para uma transformação geral no processo educacional estava temporariamente enterrado.
Muitos me perguntaram porque defendemos tanto o processo de eleição para diretores de escolas públicas. Me perguntavam porque eu grivata e lutava tanto por algo que sabia que não iria ser aprovado. Ora, lembrei do Mestre Darcy Ribeiro, quando ele disse:
“...Sou um homem de causas. Vivi sempre pregando, lutando, como um cruzado, pelas causas que comovem. Elas são muitas, demais: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Na verdade, somei mais fracassos que vitórias em minhas lutas, mas isso não importa. Horrível seria Ter ficado ao lado dos que venceram nessas batalhas.”
SUTIL PODER DESMOBILIZADOR
Democracia refere-se à “forma de governo” ou a “governo da maioria”; então, torna-se claro, que as relações cotidianas no âmbito escolar, deveriam explicitar esta linha de ação, porém sabendo-se que toda gestão, pressupõe uma AÇÃO e a palavra ação é justamente o oposto da inércia, do comodismo, espera-se do gestor educacional atitudes compromissadas de construir, de fazer e o que observa-se são atitudes autoritárias, seguindo diria, uma linha horizontal, onde os princípios democráticos não se inserem; visto que a escola deve ser vista como um lugar privilegiado para a construção do conhecimento e como eixo base das relações humanas, viabilizando não só a produção de conhecimentos como também de atitudes necessárias à inserção neste novo mundo com exigências cada vez maiores de cidadãos participativos e criativos.


Seria para muitos, um exagero em considerar a gestão escolar na esfera pública, autoritária. Porém, partindo-se que o autoritarismo está ligado a práticas antidemocráticas e anti-sociais e estas, permeiam sutilmente a gestão das escolas públicas, creio sim, que este termo não estaria sendo utilizado aqui, neste artigo, de forma errada, a afrontar a administração pública.


A questão do controle, do poder aprisionado nas mãos de diretores e superiores ainda é prática constante. Administrar escolas é tarefa árdua, porém, dentro dos moldes do autoritarismo, legitima-se então, traumas antigos em que a sociedade se mostra ainda fragilizada, com medo, sem liberdade de se expressar e covardemente cedendo lugar às ideologias.

Percebe-se na gestão educacional, uma administração voltada com ações na verdade, reprodutoras de uma sociedade infelizmente alienada e passiva, ditando regras e não estabelecendo uma relação dialógica ideal com os envolvidos, estabelecendo meramente uma transmissão de ordens, alegando na maioria das vezes cumprirem determinações que lhes vem de cima não proporcionando assim, momentos para discussão...
”...Todas as iniciativas de política educacional, apesar de sua aparente autonomia, têm um ponto em comum: o empenho em reduzir custos, encargos e investimentos públicos, buscando senão transferi-los e/ou dividi-los, com a iniciativa privada e organizações não governamentais”. (ROSSI, 2001).


A participação é muitas vezes, limitada, controlada e puramente formal. A estrutura técnica se sobrepõe aos indivíduos envolvidos e o poder e a autoridade(leia-se: autoridade : como não prática social- sem visão crítica) se instalam de forma sutil , com obediência, dentro de uma perspectiva clássica de administração que repudia a participação, o compartilhar idéias, a liberdade para expressar-se , a deliberação de decisões e o respeito às iniciativas.
A questão do controle ainda é muito forte e mesmo sabendo que o poder e a autoridade são necessários em muitos momentos dentro de várias organizações, intermediando e viabilizando ações criativas para melhora, observa-se ainda um controle rígido, um descompromisso e muito pouca participação da comunidade escolar como um todo (professores, pais, funcionários, lideranças de bairro) no processo da gestão escolar, causando assim automaticamente uma acomodação, em que as pessoas não se mobilizam para nada e ficam alheias, esperando sempre serem orientadas ou então aceitando passivamente tudo que venha das “autoridades competentes”, sem quer que seja , nenhum questionamento crítico construtivo.


As atuais discussões sobre gestão escolar têm como dimensão e enfoque de atuação: a mobilização, a organização e a articulação das condições materiais e humanas para garantir o avanço dos processos socioeducacionais, priorizando o conhecimento e as relações internas e externas da escola.
“A esses que sempre se beneficiaram do autoritarismo que gerou a exclusão, do centralismo que gerou a alienação, da falta de transparência que gerou a corrupção e da irresponsabilidade que produziu a ignorância; temos que dar um recado: [...] Não abriremos mão de construirmos o que já conquistamos e não nos acomodaremos ante o sonho de sermos os próprios obreiros e gestores do nosso mundo.”

(José Iran Barbosa Filho, professor da Rede pública Estadual e Municipal de Aracaju e presidente do SINTESE).
PARABÉNS, COMUDE!!!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Um Brasil para muitos versus o Brasil arcaico, onde poucos insistem em manter muito pra si




A principal notícia da última semana, ligada à educação, referiu-se à ação do partido Democratas (DEM) - aliado do PSDB na oposição ao governo Lula - movida no Supremo Tribunal Federal contra o sistema de cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB), responsável pelo ingresso de 654 estudantes negros, em diversos cursos de graduação, no vestibular de inverno desse ano.

Não obstante a ética do ministro Gilmar Mendes, relator de plantão durante o recesso do STF - que se considera apto a julgar o pedido de liminar da ação que tem como base argumentativa a dissertação de mestrado à qual o ministro foi orientador, na condição de professor-adjunto da UnB, em 2003, de autoria de sua ex-aluna e atual procuradora do DF e advogada voluntária do DEM - fato é que a sociedade brasileira corre o risco de ter mais um assunto de relevo social resolvido em tortas vias judiciais, em desconsideração ao debate democrático que o Congresso Nacional e as universidades públicas - à luz da autonomia conferida pela Constituição - tentam empregar ao debate sobre as cotas acadêmicas.

Quanto ao mérito da questão, a ação do DEM diz que as cotas raciais são impróprias para o caso brasileiro, pois a segregação educacional pauta-se na pobreza e não na raça. Desta forma, o DEM reafirma a política de cotas do PROUNI, que atende à clientela de menor renda em instituições privadas de ensino superior (muitas de propriedade de correligionários do Partido), porém se esquece de verificar as estatísticas sociais, que apontam a população negra como a mais pobre e analfabeta do país. Ou seja, no Brasil a raça é sim fator de discriminação educacional e determinante da pobreza. Esta, por sua vez, perpetua-se pela baixa escolarização e pela falta de oportunidades da população negra - vítima de secular racismo velado e de toda forma de preconceito.

Esse debate promete esquentar ainda mais quando o Congresso e o STF retornarem do recesso - isso, se até lá, o ministro Gilmar Mendes não conseguir colocar ‘panos escaldantes’ à questão, julgando procedente a liminar. Nesse caso, duas frentes de mobilização social terão de ser criadas. Uma no sentido de questionar a suspeição do ministro-relator, por ele ter sido orientador da tese de mestrado que consubstanciou a ação assinada por sua orientanda, tese, inclusive, de posição amplamente minoritária no meio acadêmico (de todas já defendidas na UnB, esta foi a única contrária à política de cotas raciais). A segunda para que o Congresso ratifique a política de cotas como política do Estado brasileiro, tal como ocorre há algum tempo para o acesso em cargos e empregos públicos.

Não há dúvida que o assunto remete a disputa de projeto de sociedade, que se mantém aguçado desde 2003. De um lado, temos as classes populares, ampliando direitos e tendo atendidas reivindicações históricas. De outro, uma casta reacionária que tenta impedir os avanços sociais, a fim de não dividir as riquezas do país - nesse caso, o ensino gratuito ofertado nas universidades públicas. Nós, trabalhadores da educação, temos lado definido e lutaremos pela emancipação e bem-estar do povo brasileiro.

CNTE Informa 492

domingo, 26 de julho de 2009

CONAE - ETAPA MUNICIPAL - DIAS 28 e 29 de JULHO



Conferência Nacional de Educação:
Desafio de articular ações das três esferas de governo.

Coordenada pelo Ministério da Educação (MEC), com a participação de diversos segmentos da sociedade – incluindo a SBPC –, a iniciativa pretende, entre outros objetivos, elaborar diretrizes para a construção de um Sistema Nacional Articulado de Educação, que promova a efetiva cooperação entre os âmbitos federal, estadual e municipal, em favor da melhoria da qualidade da educação brasileira, desde a pré-escola até a pós-graduação.


A ideia é que a conferência seja um espaço social de discussão da educação brasileira, articulando os diferentes agentes institucionais, da sociedade civil e dos governos, em favor da construção de um projeto nacional de educação e de uma política de Estado
.




Na medida em que a CONAE visa à mobilização social em prol da educação – demanda histórica da sociedade civil organizada, especialmente das entidades representativas do setor educacional, o documento referência inspira-se na necessidade de enfrentamento de, pelo menos, cinco grandes desafios para o Estado e para a sociedade brasileira:

a- Promover a construção de um Sistema Nacional de Educação, responsável pela institucionalização de orientação política comum e de trabalho permanente do Estado e da sociedade na garantia do direito à educação.

b- Manter constante o debate nacional, orientando a mobilização nacional pela qualidade e valorização da educação básica e superior, por meio da definição de referências e concepções fundamentais em um projeto de Estado responsável pela educação nacional, promovendo a mobilização dos diferentes segmentos sociais e visando à consolidação de uma educação efetivamente democrática.

c- Garantir que os acordos e consensos produzidos na CONAE redundem em políticas públicas de educação, que se consolidarão em diretrizes, estratégias, planos, programas, projetos, ações e proposições pedagógicas e políticas, capazes de fazer avançar o panorama educacional, no Brasil.

d- Propiciar condições para que as referidas políticas educacionais, concebidas e implementadas de forma articulada entre os sistemas de ensino, promovam: o direito do aluno à formação integral com qualidade; o reconhecimento e valorização à diversidade; a definição de parâmetros e diretrizes para a qualificação dos profissionais da educação; o estabelecimento de condições salariais e profissionais adequadas e necessárias para o trabalho dos docentes e funcionários; a educação inclusiva; a gestão democrática e o desenvolvimento social; o regime de colaboração, de forma articulada, em todo o País; o financiamento, o acompanhamento e o controle social da educação; e a instituição de uma política nacional de avaliação.

e- Indicar, para o conjunto das políticas educacionais implementadas de forma articulada entre os sistemas de ensino, que seus fundamentos estão alicerçados na garantia da universalização e da qualidade social da educação básica e superior, bem como da democratização de sua gestão.


Alguns pontos dessa agenda são imprescindíveis para assegurar, com qualidade, a função social da educação e da instituição educativa, dentre eles:



A educação inclusiva; a diversidade cultural;

A gestão democrática e o desenvolvimento social;

A organização de um Sistema Nacional de Educação, que promova, de forma articulada, em todo O País, o regime de colaboração;

O financiamento e acompanhamento e o controle social da educação;

A formação e valorização dos trabalhadores da educação.



Todos esses aspectos remetem à avaliação das ações educacionais e, sobretudo, à avaliação do Plano Nacional de Educação, suas metas e diretrizes, visando a ajustá-lo às novas necessidades da sociedade brasileira.




O tema central da CONAE:




"Construindo o Sistema Nacional Articulado de Educação: O Plano Nacional de Educação, suas Diretrizes e Estratégias de Ação".






A partir deste momento, ele se torna objeto de estudo e de deliberação, incluindo, portanto, o debate de todos os níveis, etapas e modalidades de ensino em um fórum de mobilização nacional pela qualidade e valorização da educação com a participação de amplos segmentos educacionais e sociais.




Segundo Francisco das Chagas Fernandes (coordenador comissão organizadora nacional da Conferência) a CONAE será um importante espaço democrático para a construção de diretrizes para a política nacional de educação e dos seus marcos regulatórios, na perspectiva da inclusão, igualdade e diversidade.




Gravatá irá realizar a sua Conferência Municipal nos dias 28 e 29 de Julho próximos, na Escola Professor Antônio Farias, a partir das 8:00h. Esses debates deverão ser orientados por um Documento Referência elaborado pela Comissão Organizadora Nacional da Conae, instituída em setembro do ano passado.



As propostas votadas e aprovadas nas etapas distrital e estadual comporão o Documento-Base da Conae, que será discutido durante o evento e poderá sofrer supressão (parcial ou total), adição ou substituição do texto. O Documento Final, com as deliberações da Conae, será a referência prioritária na construção do Sistema Nacional Articulado de Educação e nos encaminhamentos relativos ao Plano Nacional de Educação.



A expectativa da organização é reunir entre 2,5 mil e 3 mil representantes da sociedade civil, agentes públicos, entidades de classe, professores, gestores, estudantes e pais/mães (ou responsáveis) de alunos –que atuarão como delegados na conferência e terão poder de voto das propostas – além de cerca de 400 convidados. Os delegados serão indicados durante as conferências estaduais, dentre aqueles que participaram dos eventos municipais.






Saiba mais - Outras informações sobre a Conae e as conferências municipais/intermunicipais e estaduais podem ser obtidas pelo site do MEC:









terça-feira, 21 de julho de 2009



Ontem, 20 de Julho de 2009 foi comemorado os 40 anos da chegada do homem à Lua. Em 20 de julho de 1969, o astronauta norte-americano Neil Armstrong, comandante da Missão Apollo 11, deu “um pequeno passo para o homem e um grande salto para a humanidade”.




Há 40 anos, em plena Guerra Fria, Armstrong foi o primeiro homem a pisar na lua. Para comemorar o momento que marcou a história da humanidade, o Espaço Ciência preparou uma programação especial a qual eu tive o privilégio de participar da seguinte programação:


09:00h – Lançamentos de foguetes educativos.

10:00h – Vídeo/debate: chegada do homem à Lua.

15:00h – Lançamentos de foguetes educativos.

16:00h – Vídeo/debate: chegada do homem à Lua.

18:00h – Observação astronômica.

Participações: Espaço Ciência, CECINE-UFPE, Licenciatura em Física à distância-EaD/UFRPE e Sociedade Astronômica de Olinda (SAO).




O evento foi aberto ao público e a entrada franca, como em todos os eventos promovidos pelo Espaço Ciências.



Roberto sendo entrevistado pelo JC

Tivemos a grata satisfação de conhecer Roberto (foto acima). Este jovem senhor de cabelos brancos que é ex piloto da FAB e também do Governo do Estado e que hoje se dedica a desenvolver o projeto que ele batizou de "Foguetes Educativos". Aprendi muito com este homem humilde, simpático e inteligente que abandonou uma carreira de piloto de sucesso para se dedicar exclusicamente ao seu projeto que consiste em levar a ciência às crianças.
Criamos um laço de amizade ao longo da tarde de ontem e esperamos que esteja nascendo uma pareceria para projetos futuros.



Vamos conhecer um pouco das mudanças e avanços que o dia 20 de Julho de 1969 trouxe para o mundo.




O que o mundo ganhou com a corrida espacial



Foram gastos bilhões de dólares e depois do último vôo tripulado feito pelas missões Apolo (Apolo 17) em 1972, nada mais aconteceu. De acordo com a NASA, mais de 30 mil aplicações secundárias surgiram de seus laboratórios. Desde 1958: o detector de fumaça, o teflon das panelas, os monitores cardíacos, as câmeras de TV e sobretudo os computadores são seus subprodutos. Como seria a nossa vida sem os satélites? Ninguém assistiria uma copa do mundo ao vivo. É claro que alguns de seus produtos denominados spinoffs, nunca chegaram aos supermercados, como a pasta de dentes comestível, usada pelos astronautas nos anos 70. Na medicina são 136 aparelhos ou tecnologias resultantes das pesquisas espaciais. Problemas ósseos e musculares dos astronautas serviram de incentivo para a criação de drogas contra a osteoporose.



Os Benefícios Indiretos da Corrida Espacial


A NASA é famosa por suas missões espaciais tripuladas. Mas os benefícios práticos derivados de décadas de pesquisa tecnológica aeronáutica, investigações científicas na Terra e no espaço e voos espaciais bem-sucedidos tiveram imensa repercussão no mundo moderno. Dos painéis solares ao isolamento de ambientes que tornam nossas casas mais eficientes energeticamente, e às aplicações médicas dos Programas Mercury e Gemini, a corrida espacial gerou uma série de benefícios para a vida na Terra.



Monitores cardíacos



Os projetos Mercury e Gemini desenvolveram sofisticados sistemas de monitoramento para acompanhar o progresso fisiológico dos astronautas ao entrar e sair da órbita da Terra. Hoje, esta tecnologia é utilizada em Unidades de Terapia Intensiva e unidades cardiológicas especializadas.



Trajes de natação para competição



A NASA desenvolveu um traje de natação extraordinário. Sulcos pequenos, quase invisíveis, são aplicados ao tecido do traje para reduzir o atrito e a resistência aerodinâmica. Testes revelam que a velocidade dos atletas que utilizam o traje da NASA pode aumentar em até 15%.



Detecção de câncer de mama



O telescópio Hubble captou imagens incríveis da Nebulosa de Águia, mas agora, os chips Dispositivo de Carga Acoplada (Charge Coupled Device - CCD), utilizados para fotografar galáxias a anos-luz de distância, estão sendo aplicados em exames para diagnosticar doenças nos seios. Os chips CCD são tão avançados que podem detectar as minúsculas diferenças entre tumores malignos e benignos.



Tecnologia para pistas de decolagem



Os pesquisadores da NASA descobriram que recortar sulcos finos ao longo de pistas de decolagem de concreto reduz o risco de aquaplanagem das aeronaves. O excesso de água é drenado pelos sulcos, aumentando o atrito dos pneus com a pista molhada. Esta tecnologia foi adotada por vários aeroportos ao redor do mundo.



Bote salva-vidas auto-endireitável



O bote salva-vidas auto-endireitável da NASA foi desenvolvido para o programa Apollo. Ele infla em 12 segundos e permanece na posição correta sozinho, protegendo os astronautas em pousos na água durante condições de tempo extremas.

SAIBA MAIS. VISITE O SITE DO ESPAÇO CIÊNCIA:

www.espacociencia.pe.gov.br/

segunda-feira, 20 de julho de 2009

AOS MEUS QUERIDOS AMIGOS, A MINHA HOMENAGEM




"A gente não faz amigos, reconhece-os."


Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles. A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.


E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências.


A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.


Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.


E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.


Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar.


Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo. Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...


Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!


A gente não faz amigos, reconhece-os."



Vinícius de Morais.


sábado, 18 de julho de 2009

'Boas ações' marcam aniversário de 91 anos de Mandela



JOANESBURGO - Boas ações marcaram hoje as comemorações dos 91 anos de Nelson Mandela na África do Sul.


Seus fãs realizaram ações como ler para cegos, distribuir cobertores para sem-teto ou reformar abrigos para crianças portadoras do vírus da Aids. O ícone anti-apartheid havia pedido que as pessoas fizessem boas ações no primeiro Dia de Mandela e suas instituições de caridade esperam que a data se transforme em um evento anual.


Mandela deixou o poder após cumprir um mandato como presidente da África do Sul, tendo sido o primeiro negro sul-africano a ocupar o posto. Desde 1999, ele tem se dedicado a causas como a luta contra a Aids e a pobreza, e a defesa dos direitos das crianças.


Em Nova York, shows de Stevie Wonder, Alicia Keys e Aretha Franklin, entre outros, estão programados para celebrar a data e arrecadar fundos para a fundação de Mandela de combate à Aids.


Organizadores do Dia de Mandela conclamaram pessoas ao redor do mundo a dedicar pelo menos 67 minutos a serviços comunitários - o número corresponde aos anos em que o líder negro dedicou ao combate ao apartheid. Nos últimos anos, Mandela tem se afastado da vida pública e dito que, para que seu legado sobreviva, outros terão de abraçar suas causas.
FELIZ ANIVERSÁRIO MANDELA!
NOSSO ETERNO RESPEITO AO GRANDE AFRICANO DO SÉCULO XX.
E ATENÇÃO:
HOJE TAMBÉM É ANIVERSÁRIO DE 50 ANOS DO AMIGO REGIS DA BANCA, POR QUEM APRENDEMOS A RESPEITAR, A ADMIRAR E A ESTIMAR.
QUE DEUS ABENÇÕE AO AMIGO!

PERGUNTA DE ALUNO: PLUTÃO NÃO MAIS PLANETA?




Outro dia na sala de aula um aluno me perguntou porque os cientistas resolveram tirar Plutão da lista dos planetas que formam o nosso sistema solar. Mesmo sem ter em mãos o novo modelo, tentei explicar os motivos. Aproveito a dúvida do meu aluno e publico a matéria retirada do site do Observatório Nacional, pelo qual tenho feito curso a distância.









"Os nomes que usamos na ciência têm que se adaptar às novas realidades que descobrimos. Uma das maravilhas da ciência é que ela não sepretende definitiva. Na definição de Popper, o que qualifica a ciência é ofato de que todas as suas leis estão sujeitas a ser contrariadas porresultados novos. Sem exceção!"


Trecho texto: “A nova definição de planeta”, por Sylvio Ferraz Mello(IAG/USP)






Depois de décadas de controvérsias, a comunidade astronômica mundial finalmente deu um primeiro passo na direção de elaborar uma definição para os corpos celestes classificados como “Planetas” e, deste modo, chegar a um consenso em relação à natureza de Plutão.O fato é que a inclusão de Plutão entre os planetas tem gerado incômodos na comunidade há muito tempo.




Em 1930, quando foi descoberto pelo astronômo americano Clyde Tombaugh, estimou-se para Plutão um tamanho muito maior – comparável ao da Terra. Plutão é de fato menor do que a Lua e a sua massa é de apenas 0.22% da massa da Terra. Além disso, apresenta uma órbita bastante excêntrica e inclinada 17º em relação ao plano da órbita da Terra, muito maior quando comparada aos outros planetas.




O desconforto chegou ao limite com a descoberta do objeto 2003 UB313. Mesmo sendo maior do que Plutão, com o nosso conhecimento atual ele seria naturalmente classificado de objeto trans-neptuniano, ou seja, faria parte da classe de corpos menores que orbitam o Sol em órbitas além de Netuno.




No entanto, para isso seria necessário restabelecer a verdade em relação a Plutão ou artificialmente classificar 2003 UB313 como planeta, abrindo caminho para que outros objetos também fossem “promovidos”. Neste ponto, os únicos argumentos para manter Plutão classificado como planeta tinham origem histórica e política.




Assim, durante a assembléia geral da União Astronômica Internacional (IAU/UAI) realizada em Praga em agosto deste ano, a questão foi amplamente discutida e iniciou-se a formulação de um conceito para definir quantos são os planetas do sistema solar. As resoluções aprovadas durante a reunião estabelecem que um planeta é um corpo celeste com as seguintes caracterísiticas:
– Orbita em torno do Sol;– Possui uma forma aproximadamente esférica;– É grande o suficiente para ser dominante em sua órbita, tendo eliminado objetos menores de sua vizinhança.




A IAU também estabeleceu uma classe provisoriamente chamada de “planetas-anões” – um grupo especial de objetos trans-neptunianos. Estes corpos também seguem os dois primeiros itens da classificação de planetas e, além disso, não devem ser satélites de outros objetos e não podem ser grandes o suficiente para terem “limpado” a sua vizinhança, ou seja, não são dominantes em suas órbitas.




Todos os outros corpos que não se classificam como planetas ou planetas-anões são chamados de “corpos menores do sistema solar”.Deste modo, Plutão foi reclassificado como planeta-anão. Alguns dias depois, 2003 UB313 recebeu a sua nomeclatura definitiva: Éris, a deusa da discórdia.



As definições que foram traçadas pela IAU referem-se apenas ao nosso sistema planetário. Para a classificação dos objetos que têm sido encontrados orbitando outras estrelas – os chamados planetas extra-solares ou exoplanetas – é necessário um conceito mais geral que leve em conta processo de formação desses corpos.



Para a população, o mais interessante dessa discussão é poder perceber o quanto a ciência é dinâmica e defronta-se a todo momento com novas questões e com a quebra de paradigmas. Mais do que ensinar aos jovens que Plutão não é um planeta, é preciso mostrar que os conceitos devem ser flexíveis a fim de acatar novos resultados, porém rígidos o suficiente para evitar distorções promovidas por posições políticas ou culturais.








A ciência imita a arte...






Mais perto da verdade sobre o número de Planetas orbitando o Sol estava Gustav Holst (1874 – 1934), compositor inglês que criou a suíte “Os Planetas”, apresentada em sua forma completa pela primeira vez em 1920.




Após a descoberta de Plutão, ele teria sido indagado se não iria completar a obra, compondo um novo movimento dedicado àquele que acreditavam ser um novo planeta. Holst recusou-se a tal tarefa, por um lado por conta do seu desagravo com o sucesso popular da obra – que para o autor distorcia o seu significado – e por outro pela declaração de que o final do último movimento da peça (Netuno, o místico) representava tudo aquilo que ainda resta ao homem descobrir.




Bastante pertinente...




Para saber mais:



“A nova definição de planeta”, por Sylvio Ferraz Mello (IAG/USP)http://www.astro.iag.usp.br/~dinamica/iau-planeta.html
“The nine Planets”http://www.nineplanets.org/pluto.html
Figuras:Astronomy Picture of Dayhttp://antwrp.gsfc.nasa.gov/apod/ap060828.htmlhttp://antwrp.gsfc.nasa.gov/apod/ap060624.html
* Tânia Pereira Dominici é astrofísica e Maria Carmo Corrêa é jornalista, ambas trabalham do IAG/USP.

DUAS NOTÍCIAS POLITICAS PRA GENTE RELAXAR







1- CBF doou R$ 100 mil à campanha de Roseana; irmão dirige confederação.




Fernando Sarney é diretor da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), e a entidade doou R$ 100 mil para a campanha de Roseana Sarney (PMDB-MA), irmã do empresário, ao governo em 2006, informa o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL).






Segundo a coluna, o time dos beneficiados com doações da CBF, de mesmo valor, inclui Renan Calheiros (PMDB-AL) e Gilvam Borges (PMDB-AP), dois fiéis sarneyzistas, em 2002.




2- Sarney diz que é perseguido pela imprensa, em discurso foi feito para plenário vazio.




O presidente do Senado,
José Sarney (PMDB-AP), aproveitou a última sessão da Casa antes do recesso parlamentar para tentar minimizar os efeitos da crise na Casa Legislativa. Ele disse ser perseguido pela imprensa, mas garantiu que reerguerá a imagem do Senado.






"Nas três vezes [que assumi a presidência], encontrei o Senado em crise. Reergui-o nas três ocasiões", afirmou. "Os insultos e ameaças não me amedrontaram e não me amedrontam", reiterou.






ATÉ PARECE LOUCURA. NÃO SEI EXPLICAR... ACHO QUE SOU INSENSÍVEL!..

sexta-feira, 17 de julho de 2009

EU NÃO SABIA... MAS O DIA INTERNACIONAL DO HOMEM EXISTE!


Não se sabe bem o porquê, mas 15 de julho, é Dia do Homem no Brasil, enquanto no resto do mundo a data é celebrada em 19 de novembro. Talvez a escolha da data em terras tupiniquins seja em homenagem a Samuel Rosa , vocalista do Skank, nascido neste dia, que costuma cantar as virtudes da mulher brasileira, da cerveja e do futebol, ou seja, um verdadeiro macho. De qualquer maneira, ninguém anunciou passeatas, trio elétrico, sessões especiais de filmes ou festivais de música para celebrar a efeméride.

Poderíamos até achar que a falta de comemorações acontece porque estamos muito confortáveis em nossa condição de machos da espécie, mas na realidade é mais sábio acreditar que ser homem atualmente está ficando cada vez mais difícil e a sociedade (entenda-se mulheres) não chegou a uma conclusão sobre o novo papel masculino.

Se você é sensível de menos, é chamado de frio, se é sensível demais é tachado de delicado. Se se cuida de menos é um desleixado, se demais, metrossexual.

Nesse sentido, assim como acontece com os direitos humanos ou com as crianças, nós, homens, deveríamos ganhar uma declaração de direitos. O problema será contentar a todos os tipos de macho. Isso porque provavelmente os casados exigirão o direito sagrado de segurar o controle remoto da TV e decidir o que será assistido pelo casal ou família, mesmo que isso signifique surfar por toda a programação disponível por três ou quatro vezes seguidas. Os "juntados" pedirão a permissão para deixar a tampa do vaso levantada, sem reclamações ou cara feia.

E os homens mais jovens (e alguns tiozões) certamente solicitarão que todo homem poderá amar seu carro mais do que qualquer criatura no mundo e despender horas em sua manutenção, seja estética ou mecânica.



Existem aqueles que querem o privilégio de poder tratar da pele em paz, fazer suas unhas em salão e usar cremes diversos que, aliás, possuem hoje o mesmo problema básico dos caras pitbull que adoram tipos musculosos como Van Damme, Stallone, Schwarzenegger e,principalmente,Chuck Norris: essas preferências não deveriam trazer dúvidas quanto à sua masculinidade.

Enquanto os futebolísticos lutarão pela permissão sacramentada para peladas com amigos três vezes por semana, os realmente fanáticos pelo esporte bretão vão buscar nesse manifesto a canonização do videotape, não importando que jogo ou divisão do campeonato seja.



Os mais românticos e sensíveis devem batalhar pelo direito de dizer não a uma mulher sem conseqüências funestas e ter relacionamentos que não sejam baseados exclusivamente em sexo. Já os mais safados irão pela via contrária: querem relações totalmente sexuais e também a relativação do conceito de fidelidade.

Isso sem contar que muitos vão querer que o personagem máximo da campanha seja o estilista que inventou a calça branca justa para mulheres e vão sair às ruas pelo direito de adquirirem revistas masculinas sem a obrigação de dizer que as entrevistas são ótimas.



Obviamente que o partido concorrente, o das mulheres, virá com sua contrapartida em deveres masculinos, uma longa lista que na verdade pode ser condensada em uma única norma: compreendê-las. Especialmente na época da TPM.

O importante mesmo é deixar os estereótipos de lado e vivermos seguros de nossas personalidades únicas. Ser homem é uma coisa complexa, evolutiva e seguramente ainda não temos uma fórmula ou padrão definidos.

Só que nesse dia 15 de julho, caro amigo macho, olhe-se no espelho, encha o peito e grite com orgulho: "sou homem e posso fazer xixi em pé em qualquer lugar!". Em tempos atuais, esta continua sendo a única grande verdade e vantagem que temos sobre o público feminino.


HOMEM...

Esta criatura frágil e indefesa que nunca deixa de ser uma criança...

Quem se veste como pingüim no dia do Matrimônio?
- O humilde homem!

Quem é que, apesar do cansaço e do stress, jamais poderá fingir um orgasmo?
- O sincero homem!

Quem é obrigado a erguer os pés quando ela está fazendo faxina?
- O prestativo homem!

Quem se expõe ao stress por chegar em casa e não encontrar a comida quentinha, as crianças com o banho tomado, a roupa lavada, a cozinha limpa e o drink já posto sobre a mesa?
- O doce homem!

Quem corre o risco de ser assaltado e morto na saída da boate, cada vez que participa dessas reuniões noturnas com os amigos, enquanto a mulher está bem segura em casa na sua caminha?
- O desprotegido homem!

Quem é obrigado a sustentar a amante esbanjadora?
- O abnegado homem!

Quem segura a "cauda do rojão" quando chega em casa com marca de batom na camisa e é obrigado a dar explicações que nunca são aceitas?
- O incompreendido homem!

Quem é que toma banho e se veste em menos de vinte minutos?
- O ágil homem!

Quem é que tem de gastar consideráveis somas em dinheiro comprando presentes para o dia das mães, da esposa, da secretária e outras festas inventadas pelo homem para satisfazer à mulher?
- O dadivoso homem!

Quem é o encarregado de matar as baratas da casa?
- O valente homem!

Quem jamais conta uma mentira?
- O ético homem!

Quem tem que passar por uma TPM calado todo mês?
- O calmo homem!

Quem está lendo isso às escondidas para poder dar boas risadas, já que se for surpreendido corre o risco de ser agarrado pelo pescoço?
- O indefeso homem!

Quem é obrigado a ver a mulher com os rolinhos nos cabelos e a cara cheia de cremes?
- O compreensivo homem!

A tortura de ter que usar terno no verão?
- O sofrido homem!

O suplício de fazer a barba todo dia?
- O sacrificado homem!

O desespero de uma cueca apertada?
- O mártir homem!

Viver sob o permanente risco de ter que entrar numa briga?
- O corajoso homem!

Pilotar a churrasqueira nos fins de semana enquanto todos se divertem?
- O prestativo homem!

Ter sempre que resolver os problemas do carro?

- O sabido homem!

Ter a obrigação de ser um atleta sexual?
- O vigoroso homem!

Ter que reparar a roupa nova dela?
- O estilista homem!

Ter que reparar que ela mudou de perfume?
- O detalhista homem!

Ter que reparar que ela trocou a tintura do cabelo de Imédia 13 para 731 louro bege salmon plus up light forever?
- O observador homem!

Ter que reparar que ela cortou o cabelo, mesmo que seja somente um centímetro?
- O menosprezado homem!

Ter que jamais reparar que ela tem um pouco de celulite?
- O esteticista homem!

Ter que jamais dizer que ela engordou, mesmo que isto seja a pura verdade?
- O leal homem!

Ter que conversar sobre aplicações, debentures, dólares,commodities, marcos, CDBs e RDBs, mesmo que o seu salário mal dê para chegar ao final do mês?
- O poupador homem!

Trabalhar prá cacete em prol de uma família que reclama que você trabalha prá cacete?
- O batalhador homem!

Ter que agüentar a sogra que chega para ficar três dias em casa e acaba ficando três meses?
- O submisso homem!

Ouvir da mulher que raspou o pára-lama do carro "0 km", na coluna do prédio, e que a culpa não não é dela, e sim da má iluminação da garagem e da coluna que estava em seu caminho?
- O paciente homem!

Sem falar, de ter que bancar de algumas mulheres, todas as suas vaidades, frescuras, plásticas e outras cossitas mas. Depois elas ainda acham que é fácil, só porque nós não menstruamos...
- O insuperável homem!



No dia 16 de julho de 1969, há exatos 40 anos, decolou do Cabo Canaveral, nos EUA, o Apollo 11, ônibus espacial que deu início à missão que transformou em realidade um dos sonhos mais antigos da humanidade: a chegada do homem à Lua. O feito, realizado pelo astronauta americano Neil Armstrong quatro dias depois, teve como motivação a disputa por poder entre os Estados Unidos e União Soviética. Para comemorar a data, o Terra inicia nesta quinta-feira uma série de reportagens especiais em homenagem à aventura que entrou para a história como uma das maiores conquistas da humanidade.

No final da década de 60, o mundo estava polarizado pela chamada Guerra Fria, que teve início ao final da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) com a disputa entre soviéticos e americanos sobre o destino dos países da Europa liberados do jugo dos nazista. Os países da Europa Oriental (como Polônia, Tchecoslováquia e Hungria e a parte oriental da Alemanha), que respondiam à governos comunistas, disputavam poder mundial com embates estratégicos e conflitos velados com os Estados Unidos (apoiados pelos países da Europa Ocidental), com governo capitalista e democrático. Os dois blocos iniciaram uma corrida armamentista, com os dois lados construindo bombas nucleares.


"Como resultado da corrida pelas armas nucleares, com suas ogivas, americanos e soviéticos começaram a investir, de forma pesada, no desenvolvimento de mísseis que pudessem levar armas nucleares até o território do adversário. Isto permitiu o desenvolvimento de foguetes capazes de chegar ao espaço", lembra Pedro Paulo A. Funari, professor do Departamento de História e Coordenador do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp.

A União Soviética foi o primeiro país a colocar um satélite em órbita, em 1957, com o lançamento do Sputnik. No mesmo ano, mandou ao espaço a cadela Laika. Seu maior feito veio em 1961, quando o cosmonauta Yuri Gagarin tornou-se o primeiro homem a viajar no espaço. "A União Soviética definiu a conquista do espaço como a medida de poder e de atração de uma sociedade moderna, e o Presidente Kennedy decidiu que deixar uma conquista espacial espetacular apenas para a União Soviética não era do interesse dos Estados Unidos", afirma John Logsdon, atual curador e perito do Museu Nacional do Ar e Espaço dos Estados Unidos em entrevista à agência AFP. Assim iniciava a chamada corrida espacial, um símbolo da batalha da Guerra Fria.

Para não ficar atrás, em 1961 o presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, lançou um desafio. "Acredito que esta nação deve comprometer-se a alcançar a meta, antes que esta década acabe, do desembarque do homem na Lua e seu regresso em segurança à Terra", disse o Kennedy. Foi então que os EUA desenvolvem o programa Apollo, que transformou-se em uma arma bem sucedida na prova de domínio na corrida espacial que culminou com os passos do americano Neil Armstrong na lua durante a missão Apollo 11, em 1969.

A Apollo 11A Apollo 11 era formada pelos astronautas Neil Armstrong, comandante, Michael Collins, piloto do Módulo de Comando Colúmbia, e pelo Piloto do Módulo Lunar, Buzz Aldrin, segundo homem a pisar na Lua. A missão teve início no dia 16 de julho de 1969, quando o Colúmbia foi lançado do centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, na Flórida, na ponta do foguete Saturno V.
Quatro dias depois, o Módulo Lunar se desprendeu do Colúmbia e pousou próximo ao Mar da Tranquilidade, na superfície do satélite da Terra. Logo após, o astronauta Neil Armstrong consagrou-se como o primeiro homem a pisar na Lua, seguido pelo colega de missão Buzz Aldrin.

Como símbolo dessa vitória sobre a União Soviética, Neil Armstrong fixou uma bandeira dos Estados Unidos em solo lunar e colocou uma placa com os dizeres:
"Aqui homens do planeta Terra colocaram pela primeira vez o pé na Lua. Julho de 1969. Nós viemos em paz, em nome da humanidade".
Na placa, as assinaturas dos três astronautas e do então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon. Após duas horas de caminhada de Armstrong e Aldrin na Lua, os dois retornam ao Modulo de Comando com 46 kg de amostras de solo lunar. Os oito dias de duração da missão foram acompanhados atentamente pela televisão e rádio por milhões de pessoas ao redor do mundo e, no lançamento, por milhares de espectadores nas proximidades do Centro Espacial.

Na chegada à Terra, Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins ficaram em isolamento para evitar que possíveis agentes contaminantes trazidos por eles entrasse em contato com a população. Após a quarentena, os três viajaram o mundo, quando foram aclamados heróis por milhões de pessoas.

Após a Apollo 11, o programa Apollo fez outros cinco bem sucedidos desembarques na Lua entre 1969 e 1972. Ao total, 12 homens pisaram na superfície lunar, todos americanos. Os onze anos do programa Apollo, segundo informações da Reuters, custaram aos cofres americanos US$ 25,4 bilhões - quase US$ 150 bilhões com correção monetária -, ou mais de seis vezes o orçamento atual da Nasa.

Fim da corrida espacialEm 1970, meses após os primeiros desembarques lunares, o dissidente soviético Andrei Sakharov escreveu em uma carta aberta ao Kremlin que a capacidade dos Estados Unidos de colocar um homem na Lua revelou a superioridade da democracia.

"Depois da conquista da Lua pelos americanos, os Russos redirecionaram seus objetivos em duas novas frentes: missões tripuladas, com as Estações Espaciais, e a pesquisa de planetas com sondas automáticas (não tripuladas).", disse o professor Naelton de Araújo, astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro.

A primeira estação espacial, Mir, foi criada neste contexto. Porém, como afirma o professor Funari, "a tecnologia soviética não se aperfeiçoou tanto, mas puderam manter um programa confiável nas estações espaciais posteriores. Com o fim da União Soviética, a Rússia deu continuidade aos seus programas espaciais, mas em cooperação como os Estados Unidos e a Europa."

Em 1975, uma nave Apollo e uma nave Russa Soyuz se encontraram em órbita, como parte de uma "trégua" entre os dois países. Astronautas americanos e cosmonautas russos apertam as mãos no espaço. Este fato foi um marco para o início do entendimento entre as duas nações.

Mas, segundo o professor Funari, o fim da Corrida espacial só se deu anos mais tarde. "O fim da corrida espacial correspondeu ao fim da Guerra Fria (1989). A dissolução da União Soviética e a democratização da Europa Oriental, russos, americanos e europeus começaram a cooperar na exploração do espaço", afirma o professor.

Legado para a humanidadeA conquista da Lua não foi o único resultado da corrida espacial. Muitos dos avanços tecnológicos que desfrutamos hoje - como a comunicação mundial instantânea,via satélite e o uso de computadores pessoais - foram criados na época durante pesquisas de aprimoramento das missões espaciais.

"A corrida espacial produziu avanços tecnológicos incríveis. Em termos práticos, podemos dizer que ele foi responsável pelo desenvolvimento de satélites espaciais de telecomunicação, por exemplo, satélites de avaliação meteorológica, computadores, eletrônicos, plásticos, materiais sintéticos... Nos deixou uma herança tecnológica muito rica. (...) Em termos de astronomia, a chegada do homem à Lua foi importante porque permitiu acesso à amostras do solo lunar e análise destas amostras em laboratório. (...) Com o material trazido da Lua tivemos mais informações sobre o composição geoquímica do Sistema Solar.", afirma o professor Naelton.

Funari vai mais longe. "Em termos simbólicos, o pouso na Lua mostrou que os desafios humanos podem ultrapassar limites", diz.


Há quem divide, levante hipóteses e até prove que tudo isso é uma grande mentira. Talvez a maior mentira contada pelos norteamericanos.
Você realmente acredita que o homem foi a Lua?
Podemos começar respondendo esta pergunta polêmica agora. Basta que você observe a foto acima. Veja que ela está balançando ao sabor do vento, certo?
Se você acha que é certo, eu pergunto:
NA LUA EXISTE VENTO, OU SEJA, EXISTE O AR EM MOVIMENTO?
VAMOS PENSAR?
É o que vamos tentar responder (sempre polemizando) na próxima matéria.
Aguarde.

Menina de 2 anos liga para emergência e salva vida da mãe



Esta linda (foto) menina de 2 anos salvou a vida de sua mãe ao chamar a ambulância, em Bournemouth, na Grã-Bretanha. Isabelle Keeling discou o número de emergência 999, quando sua mãe, Joanne, 34 anos, teve uma reação alérgica a látex.


Joanne disse que pediu à filha que pegasse o telefone por que não estava se sentindo bem. Ela disse que se aplicou uma injeção de adrenalina quando sentiu a reação alérgica, mas o medicamento não funcionou imediatamente e ela desmaiou.


Joanne disse que ouviu Isabelle falando ao telefone, mas pensou que a menina tivesse apertado o botão de rediscagem. Mas Isabelle estava falando com uma operadora do serviço de emergência, e soube dar seu nome, endereço e número de telefone. Além disso, ela abriu a porta de casa para os vizinhos e paramédicos que ajudaram sua mãe.


No dia anterior a menina havia assistido a um episódio do programa infantil Tweenies, em que os personagens ensinavam como ligar para número de emergência.

Quando eu li esta notícia no site da BBC-Brasil, eu me recordei da seguinte frase gênio Louis Pasteur:

"Quando vejo uma criança, ela inpira-me dois sentimentos: Ternura, pelo que é, e Respeito pelo que pode vir a SER."

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Fundarpe e Prefeitura divulgam programação artística do Festival de Inverno de Garanhuns





Entre os dias 16 e 25 deste mês, Garanhuns é sede da maior celebração da cultura pernambucana, recebendo o Festival Pernambuco Nação Cultural durante a 19ª edição do Festival de Inverno da cidade. O evento consolida a cidade como polo agregador das expressões populares de todas as regiões do Estado. Realizado pelo Governo de Pernambuco, por meio da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, o Festival receberá centenas de atrações, em 14 polos de animação com shows, espetáculos teatrais, intervenções artísticas, exposições, apresentações circenses, performances de dança, mostras de cinema, oficinas, debates e atividades de formação.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO OFICIAL DO 19º FIG

ESPLANADA GUADALAJARA / A PARTIR DAS 21H

16/07 - Quinta-feira
Paulinho Groove
Quinteto Violado e convidados (Lenine e Coral de Aboio de Serrita)
Maria Rita


17/07 - Sexta-feira

Leo Noronha

Lula Queiroga

Fernanda Abreu

Lenine



18/07 - Sábado

Alexandre Revoredo

Mombojó

Rita Lee

Cachorro Grande



19/07 - Domingo

Audejan

Silvério Pessoa

Astros e Estrelas Carnavalescas (Orquestra Popular do Recife, Claudionor Germano, Kelly Benevides, Expedito Baracho, Getúlio Cavalcanti, Nonô Germano, Coral Edgar Moraes, Beto Ortiz e o Bloco da Saudade)

Moraes Moreira



20/07 - Segunda-feira

Orquestra Nostalgia

Silvia Machete

Paulo Diniz

Odair José



21/07 - Terça-feira

Banda Flash

Edilza

Del Rey

Wanderléa



22/07 - Quarta-feira

Moendas de Pernambuco

Matingueiros

Geraldo Maia

Cordel do Fogo Encantado



23/07 - Quinta-feira

Terreiro Cibernético

Cabruêra

Orquestra Contemporânea de Olinda

Nação Zumbi e convidados (Arnaldo Antunes, BNegão, Edgar Scandurra, Otto e Fred 04)



24/07 - Sexta-feira

Os Valvulados

Andréa Amorim

Faces do Subúrbio

O Rappa



25/07 - Sábado

Michelly dos Anjos

Di Melo

Mundo Livre S/A e convidados (Otto e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério)

Jorge Ben Jor





PALCO POP / A PARTIR DAS 19H





17/07 - Sexta-feira

Karla Rafaella

Tom Bloch

Nuda

DJ Dolores e Banda



18/07 - Sábado

Pernamuamba

Escurinho

Flor de Cactus

O Samba do Véio Mangaba

G.R. Bonsucesso Samba Clube



19/07 - Domingo

Soul Blues

Jefferson Gonçalves

Pressão Sanguínea

Johnny Hooker e Candeias Rock City

AMP



20/07 - Segunda-feira

Hamma

Subinfected

Rabujos

Decomposed God



21/07 - Terça-feira

Instinct Noise

Moribundos

Vamoz!

Matalanamão



22/07 - Quarta-feira

Rogério e Os Cabra

Ívano

Brasáfrica

Nzambi



23/07 - Quinta-feira

PE-5

Confluência

Buguinha Dub

BNegão e Os Seletores de Freqüência



24/07 - Sexta-feira

Gaiamálgama

Zé Manoel

Renata Rosa

Alessandra Leão



25/07 - Sábado

Banda FDR

Media Sana

Siba e a Fuloresta

Profiterolis





PALCO FORRÓ / A PARTIR DAS 0H





17/07 - Sexta-feira

Quarteto Olinda

João do Pife e Banda Dois Irmãos

Paulinho Leite

Rosimar Lemos e Banda



18/07 - Sábado

Os Três do Cariri

Benedito da Macuca

Gean Mota

Mourinha do Forró



19/07 - Domingo

Karolinas com K

Terezinha do Acordeom

Tarcísio Rodrigues



20/07 - Segunda-feira

Waldir Santos

Hebert Lucena

Juninho Souza



21/07 - Terça-feira

Maria Lafayette

Chá de Zabumba

Bia Marinho

Messias Santiago



22/07 - Quarta-feira

Caçuá do Mangai

Silveirinha

Banda Pinga Fogo



23/07 - Quinta-feira

Orquestra Sanfônica

Chico Bala

Luciano Padilha

Forrozão Danado de Bom



24/07 - Sexta-feira

Beto Hortis

Petrúcio Amorim

Lourenço Gato

O Bom Kixote



25/07 - Sábado

Ivan Ferraz

Edmilson do Pífano

Walter de Afogados

Gláucio Costa - O Matuto Cantator





PALCO INSTRUMENTAL / A PARTIR 18H





17/07 - Sexta-feira

Orlito Blues Jazzísticos

A Trombonada

Cacai Nunes



18/07 - Sábado

Street 's Jazz Band

Estuário

Treminhão



19/07 - Domingo

Choro Baião e Cia

Saracotia

Orquestra Henrique Dias



20/07 - Segunda-feira

Baião de Três

Rob Curto

Pata de Elefante



21/07 - Terça-feira

Roberto Lima e Banda

Beto Kaiser e Banda

M. Takara



22/07 - Quarta-feira

Fahrenheit

Edu Martin e Grupo

Wassab



23/07 - Quinta-feira

Guilherme Calzavara

Quinteto Sopro Brasil

Noise e Viola

Guinga



24/07 - Sexta-feira

Joãozinho Souza

Capibaribe Trio

Retrofoguetes



25/07 - Sábado

Kléber Blues Band

Quinteto Violado





PALCO CULTURA POPULAR / A PARTIR DAS 11H





18/07 - Sábado

O Bonde Bloco Lírico Carnavalesco

Gonzaga de Garanhuns

Zabé da Loca e Banda

Belo Xis

Cila do Coco



19/07 - Domingo

Grupo Folclórico Bacamarteiro Mandacaru

Pastoril Jesus Menino

Mestre Zé de Bibi

Gigantes do Frevo



20/07 – Segunda-feira

Mazuca de Agrestina

Coco de Roda Zé de Teté

Zé Galdino

Mestre Galo Preto



21/07 – Terça-feira

Reisado da Boa Vista

Grupo Percussivo Força dos Quilombos

Afoxé Alafin Oyó



22/07 – Quarta-feira

Aurinha do Coco

Mazurca Pé Quente

Toque Leoa

Carlinhos Monteverde



23/07 – Quinta-feira

Reisado do Alto do Moura

Coco do Mestre Juarez

Banda Pífano Folclore Verde Castainho

Maracambuco



24/07 – Sexta-feira

Unicordel

Reisado João Tibúrcio

Banda de Pífano Família Félix

Wellington do Pandeiro

Banda Filarmônica Assum Preto



25/07 - Sábado

Banda Musical Curica

Pastoril do Velho Xaveco

Samba de Coco Raízes de Arcoverde

Paulo Isidoro

Sambadeira

Boi da Macuca

Maracatu Nação Pernambuco



CORTEJO

Concentração no Parque Euclides Dourado. Segue em direção à Esplanada Guadalajara



19/07 - Domingo

A partir das 21h

Bloco Misto Banhistas do Pina

Bloco lírico Sintazul, de Paulista

Bloco Carnavalesco Flor da Lira, do Recife

Clube Elefante de Olinda

Bonecos Gigantes do Ziriguidum, de Arcoverde



LITERATURA

Local - Casa da Palavra

17/07 a 19/07

A partir das 19h

Recital Vozes Femininas, com Silvana Menezes, Biagio Picorelli e Mariana Nascimento



18/07 - Sábado

A partir das 14h

Palestra A poesia medieval galego-portuguesa e a literatura de cordel, de Marcos Antônio Ferreira



21/07 – Terça-feira

A partir das 19h

Lançamento do livro Coletânea inédita de poesias cem poetas sem livros 100



23/07 a 25/07

Recital Literatura na Hora, de Sabrina Carvalho

Publicação de livretos pela Editora Livro Papel Finíssimo



Local – Palco de Cultura Popular

24/07 – Sexta-feira

A partir das 10h

No cordão da poesia, do coletivo Unicordel



Local - Estação Ferroviária

20/07 – Segunda-feira

A partir das 14h

Recital Poetas de Quinta, de Demóstenes Félix


http://www.garanhuns.pe.gov.br/noticias.php?mostrar=noticiacompleta&id=355bdfafbb